Resenha: Sunshine

22 junho 2018
Sinopse:
“Entre os irmãos Walker, Sunshine sempre foi conhecida como a mais descolada e de personalidade expansiva. Sempre se sentindo à sombra da irmã mais velha, Rainbow, tão certinha e centrada, Sunny fazia questão de manter uma imagem que na verdade não condizia com quem era por dentro, uma garota doce e romântica.
Mike havia acabado de entrar na faculdade como o receptor do time de futebol americano. Tímido e reservado, ele não fazia jus à fama que os jogadores faziam questão de manter, ainda mais quando seu coração estava fisgado por uma garota que ainda estava no ensino médio em sua cidade natal.
Dois corações apaixonados. Duas etapas de vida diferentes. Obstáculos e decisões importantes que poderiam mudar o futuro de seu relacionamento para sempre. E principalmente... mudar irremediavelmente suas vidas.”

Oi galera, venho hoje falar da minha última aventura no universo criado pela M.S Fayes, , Sunshine  lançamento da Martinha pela Editora Pandorga já está disponível para que todos possam se embrenhar e ter vários sorrisos bobos no rosto durante a leitura, assim como eu fiquei.

Não é segredo para ninguém que eu simplesmente amei o casal pioneiro dessa série Thomas e Rainbow e não foi diferente desta vez, Sunshine vibra tanto personalidade que você sente essa vibração enquanto lê, e mais uma vez a senhorita Marinha me fez sentir como uma verdadeira pedófila babando pelo mocinho Mike ( o rapaz tem idade de uma criança, eu não deveria ter pensamentos pecaminosos com ele, rs) que ganha o foco inteiramente para ele a cada página lida.

Para os que não conhecem Sunshine Walker é a Irmã mais nova de Rainbow Walker, e gêmea de Thunder Storm Walker, pelos nomes peculiares pode-se notar que a família Walker tem uma pegada meia zen, os pais dos garotos são hippies praticantes e abominam qualquer sinal de capitalismo, vivem sua vida de acordo com as leis naturais do universo, plantam, colhem, adoram o Deus sol, viajam pelo mundo, os filhos sempre os acompanharam porém em sua última mudança acabaram por ter uma residência fixa, onde a irmã mais velha teve sua auto descoberta e agora Sunshine seguia vivendo diversas experiências eletrizantes e apaixonantes.

Sunny era a  mais expansiva dos irmãos, sempre tinha um sorriso fácil aos lábios, brincava e era amiga de todos, sabia que era bonita e gostava do que isso causava nos garotos e ás vezes por ser tão sociável, amigável era vista como uma menina fácil sem amaras, mas no fundo escondia uma faceta sua que poucas pessoas conheciam de verdade. 

Por mais que Sunny quisesse que todos pensassem que ela vivia a vida loucamente sem se importar com parâmetros – e não se importava mesmo, mas tinha seus próprio limites - ela tinha dentro de si uma alma romântica e tinha uma grande paixonite pelo melhor amigo do namorado de sua irmã.

Mike Crawford era gato, receiver do time de futebol da escola e desde que eles se beijaram numa festa há tempos longínquos o garoto passou a povoar os seus pensamentos, sendo objeto de desejo de Sunny, porém após o beijo Mike deixou uma distância enorme entre os dois, deixando claro que não queria nada além da amizade dela, não que o beijo tenha sido ruim, isso nunca, foi o melhor beijo de sua vida que ainda a mantinha sem palavras, e Sunshine Walker sem palavras era algo a ser comentado.

Porém a gora ele estava em Princeton na Universidade, longe dela, e mesmo eles mantendo contato por mensagens o que alguém como Mike iria querer com alguém como ela? 

Resenha: O Menino que Falava a Língua dos Cães

20 junho 2018
Uma história comovente de uma infância incomum em meio a guerra. Certas vidas são tão surpreendentes que não poderiam ter sido inventadas. É o caso da vida de Julian Gruda, aliás, Jules Kryda, aliás, Roger Binet. Como é possível que aos 14 anos um menino já tenha tido tantas identidades? Que tenha vivido com tantas famílias diferentes sem ser desmascarado? Que tenha atuado como agente secreto da Resistência? Como pode ter crescido em um orfanato se tem pelo menos duas mães? E, sobretudo, onde aprendeu a falar a língua dos cães, o que causa tanta admiração em seus colegas? Ao contar em forma romanesca a história verídica de seu pai, Joanna Gruda descreve uma infância incomum, que começa em Varsóvia no início da guerra e termina na Paris liberta. Pelos olhos de Jules, desfilam diante de nós os dias mais desoladores do século passado, narrados com veracidade e vivacidade ímpares. É a guerra como se estivéssemos presentes, contada sem o menor sentimentalismo, tornando ainda mais palpável o caráter trágico desses anos sombrios. Mas este relato cativante é antes de qualquer coisa a história de um menino que preserva sua capacidade de se surpreender diante das reviravoltas do destino. Movido por uma inabalável esperança, ele nos dá uma extraordinária lição de sobrevivência.
Eu já falei pra vocês que eu não leio sinopses, né? Então, quando eu tive a oportunidade de ler o livro, acreditava que era algo semelhante a Marley e Eu, Quatro Vidas de um Cachorro e Sempre ao seu Lado. Portanto, esperava chorar. Bom, eu até que poderia ter chorado, sim, porque a história é bem triste, mas eu não sou de chorar lendo romances (exceção de Marley e Eu e O Guardião). Se você é mais sensível neste quesito, prepare-se para derramar algumas lágrimas.


Resenha: As Filhas da Noiva

15 junho 2018
Courtney Watson é a irmã desajustada da família. Ela pode não ter uma vida tão organizada quanto a das irmãs, mas ela é excelente em uma coisa: guardar segredos. Inclusive sobre seu caso flamejante com um produtor musical. Planejar o casamento da própria mãe traz sua vida secreta à tona, mudando completamente a imagem que sua família tinha de Courtney para sempre. Quando o namorado de Siena, a irmã rebelde, a pede em casamento bem na frente de sua mãe e suas irmãs, é uma completa surpresa para ela. Siena já passou por dois noivados fracassados e desfeitos. Como ela pode aceitar se ela nem tem certeza que é isso que ela ainda quer? Rachel é a cínica da família. Ela acreditava que o amor duraria para sempre. Até o seu divórcio. Enquanto o dia do casamento de sua mãe se aproxima, seu ex passa a implorar por uma segunda chance, e ela é forçada a reconhecer algumas verdades incômodas sobre os motivos pelos quais seu casamento não deu certo. Rachel precisa decidir se ela vai deixar o orgulho ficar no caminho do seu felizes para sempre.

Olhem a capa aí acima. Não é linda? Não faz com que você tenha vontade de parar tudo e começar a ler este livro? Mas, atenção: se você fizer isso, certifique-se de que terá muito tempo para lê-lo, porque você não vai querer fazer outra coisa até conhecer o final da história.

Maggie vai casar com Neil. Ela é viúva há muitos anos, e criou suas três filhas com muita dificuldade. Precisou deixar a companhia das meninas de lado para dar a volta por cima, porque o falecido marido não as deixou em segurança e ela perdeu a casa. Anos depois, quando todas são adultas, Maggie deu a si uma chance e ela está radiante. O casamento acontecerá no hotel e Courtney, sua filha, aparentemente apenas uma camareira, ajudará na preparação do casamento.

Resenha: O Chefão

13 junho 2018
Sinopse: Um romance sexy de um dos grandes nomes da literatura erótica mundial.
Na primeira vez que vi Chase Parker não causei exatamente uma boa impressão. Eu estava escondida no banheiro de um restaurante, mandando mensagem de áudio para minha melhor amiga me salvar de um encontro horrível. Ele ouviu, disse que eu era uma canalha e começou a me oferecer conselhos não solicitados de namoro. Eu disse a ele que cuidasse de sua própria vida e voltei para meu encontro miserável. Ao passar pela minha mesa ele sorriu e eu assisti seu traseiro sexy e arrogante voltar para seu jantar. Não pude evitar trocar olhares com o idiota condescendente do outro lado do restaurante. Quando o deslumbrante desconhecido e sua acompanhante apareceram de repente em nossa mesa, pensei que ele iria me denunciar. Mas, ao invés disso, ele fingiu que nos conhecíamos e se juntou a nós – contando histórias elaboradas e embaraçosas sobre nossa suposta infância. E, sem que eu me desse conta, meu encontro tedioso se tornou extremamente excitante. Depois que nos separamos, não consegui parar de pensar naquele estranho que jamais veria novamente. Afinal, quais eram as chances de encontrá-lo de novo em uma cidade com oito milhões de pessoas?
Se quiser saber onde seu coração está,
repare para onde sua mente vai quando vagueia.

Hello pessoas, tudo certinho?!?! Hoje vamos falar de mais um livro babadeiro da diva Vi Keeland. Isso mesmo, diva!! A mulher consegue envolver qualquer um com qualquer assunto clichê! E sabe porquê?? Porque ela te convence de tal forma que você quer e precisa viver naquela história. 

Aqui conhecemos Chase e Reese. Eles se conhecem por acaso em um restaurante, em uma situação bem inusitada, que acaba por garantir a ela uma noite mais animada do que a que estava se delineando sem a presença dele. Apesar de nunca terem se encontrado antes daquele dia, contaram uma história fictícia que convenceu a todos. E quase a eles mesmos. Isso foi o suficiente para que ela ficasse recordando o encontro inusitado.


Resenha: Paixão de Recomeço

06 junho 2018

Rosamund Lydgate sempre foi apaixonada por Joss Horsfield, mas quando ele a abandona, ela aceita se casar sem amor com lorde Brooke. Presa ao amor do passado, ela só se dá conta de que está amando novamente quando perde o amor do presente. Paixão de Recomeço conta a história de uma mulher rejeitada e de um amor construído. É possível amar de novo?

Paixão de Recomeço é o primeiro livro da série Vilas do Sul, que será lançada em breve pela editora Pedrazul. O livro é incrível, uma bela história de amor, de recomeço, de amar de novo, e principalmente, de aprender a se amar. E Chirlei é uma excelente escritora, com uma leitura leve, fácil e bem fluida. 

A história se passa na Cornualha, e nos deparamos com uma Rosamund ainda moça, no ano de 1830. Seu pai é um bêbado e ele está disposto a vendê-la para um senhor de idade. Mas ela sempre foi apaixonada por Joss, um homem que não lhe  dá valor. Não vou contar todas as circunstâncias, claro, mas ela nunca se casará com Joss. Como eu disse, ele não sabe a joia que tem em mãos, procurando amor em outra pessoa. Mas esta é outra história, voltemos a Rosamund.

Resenha: Os segredos dos olhos de Lady Clare, @harlequinbrasil

Sinopse:“Enquanto investiga a causa do aumento de bandidos em Troyes, sir Arthur Ferrer encontra a misteriosa Clare, uma possível filha ilegítima do conde de Fontaine, da Bretanha. Ele então percebe que ela pode ser a chave para a sua própria salvação. A honra exige que Arthur a leve até o pai para que possa ser reconhecida, mas o desejo prefere que ela fique em seus braços.
Será possível conciliar honra e desejo?
A autora Carol Townend mais uma vez convida as leitoras para uma viagem inesquecível de volta a condados, cortes e reinos e às incríveis histórias de amor entre nobres da (nem tão) alta sociedade da época.”

Olá pessoal, tudo bom? Venho falar hoje de um livro que recebemos da Editora Harlequin, diferente do que estou habituada a ler, Os Segredos dos olhos de Lady Clare não se trata de um romance de época e sim de um romance histórico, e fiquei muito feliz em ler, a autora Carol Townend soube elaborar bem os detalhes para deixar o enredo interessante e cheio de detalhes que remetem a época retratada.

Conhecemos Lady Clare, uma mulher um tanto peculiar, que vive escondida por conta de seu passado triste quando era escrava de Veronese; ela precisa viver a sombra, pois nasceu com uma diferença genética que é impossível passar despercebida, a heterocromia, seus olhos únicos, possíveis reconhecê-los em qualquer lugar.

Resenha: Mais Que Amigos

04 junho 2018
Sinopse: Será que vale a pena arriscar uma grande amizade em troca de um amor inesquecível?Aos vinte e dois anos, a jovem Parker Blanton leva a vida que sempre sonhou. Tem um namorado inteligente e responsável, um emprego promissor e a companhia de seu melhor amigo, Ben Olsen, com quem divide um lindo apartamento. Parker e Ben são tão grudados que muita gente duvida que eles morem sob o mesmo teto sem nunca ter vivido um caso, mas eles não se importam com o que as pessoas pensam. Sabem que não foram feitos um para o outro — pelo menos não para se envolver. Por isso, quando um acontecimento inesperado faz com que Parker se veja sem namorado e com o coração partido, ela sabe que pode contar com Ben para ajudá-la a sacudir a poeira e partir para outra. Afinal, ninguém seria mais ideal do que seu melhor amigo para lhe mostrar os prazeres da vida de solteiro… certo? Mais que amigos é uma comédia romântica irresistível!

Hello pessoal, vamos bater um papo sobre a aposta da Paralela Mais que Amigos, no original: Blurred Lines. Apesar do trabalho de capa não ter ficado ruim, farei a chata e direi que esse título ficou meia boca, mas o livro é muito fofo.

Parker e Ben são amigos desde a faculdade. Logo que se conheceram se aproximaram e após formados foram dividir uma casa, até aí zero problema. Ele solteiro convicto, ela em uma relação séria, pronta para o próximo passo.
"Garotos e garotas não conseguem ser só amigos. Ou pelo menos nãomelhores amigos.As coisas acabam se complicando."