DangeRock, @editorapandorga

09 agosto 2016
Sinopse: Eve McGannon lidera a banda DangeRock desde adolescente. Sua voz atrai multidões como um ímã, da mesma forma que sua timidez a impede de confessar seu amor eterno por Brandon Conwell, o guitarrista e amigo de infância que sempre esteve ao seu lado, mas sem nunca percebê-la como mulher. Quando a banda recebe uma proposta irrecusável, o grupo unido se vê imerso em um turbilhão de sucesso absoluto e suas complicações. Isso inclui um astro musical que desperta um poderoso sentimento de ciúmes em Brandon, ao mesmo tempo em que tenta fazer Eve abandonar suas desilusões e ir em busca de novos sonhos. Eles aprenderão que o coração comanda todos os atos dentro e fora do palco. Basta apenas que sigam os sentimentos através das melodias que eles mesmos entoam.

Olá pessoal, hoje vou falar para vocês do lançamento da M.S. Fayes, DangeRock. Quem conhece a Martinha sabe que o estilo dela de escrever é muito intenso e muito divertido. Apesar de agora a história ser de personagens mais jovens do que de seus livros anteriores, a assinatura dela está presente em vários momentos.

Confesso que me surpreendi completamente com a história e com a construção dos personagens, em comparação à trilogia da Lei, são muito diferentes. E não só  pelo universo, lá os personagens eram complexos, adultos resolvidos. Aqui temos uma banda que começa adolescente, e mesmo com a passagem de tempo ainda são muito jovens, me deixou um pouco apreensiva, confesso. Mas só posso dizer para vocês que vale cada linha lida... Nos sentimos na estrada com eles e queremos mais a cada capítulo, confiram comigo essa história regada a música, amor, dúvidas e muita, muita confusão.

Eve é apaixonada desde que se lembra, mas ele nunca a olhou como nada além de amiga. E em todo esse tempo ela teve que conviver com o desfile sem fim de garotas que passavam por ele na escola e em sua casa, porque afinal de contas além de amigos desde o jardim de infância são vizinhos. Além disso tocam na mesma banda, que começou na escola e seguiram em diante com algum sucesso e reconhecimento... Adorooo...

Com a luz centrada em mim, girei meu corpo para o público e deixei minha voz alcançar as notas da nossa canção de maior sucesso do momento. A letra da música mexia tanto comigo... De maneira tão intimista... Quando a cantava, era como se somente eu estivesse presente naquele lugar. Eu fechava meus olhos e me permitia viajar nos sonhos que sempre tive, nos sonhos que deixei para trás. Eu sonhava com os momentos por que sempre ansiei.

O tempo passou a banda trocou o nome, o sucesso começou a surgir, rolou até uma indicação ao Grammy, turnê pelo país e tal. Eve sentia-se sozinha. Apesar dos seus “meninos” a adorarem, eles a consideravam sua irmã mais nova, ela já estava cansada disso, do seu coração partido repetidamente pelo comportamento de Brandon. Até que ao final de um show ela se espanta com a presença de Mitchell Clay, líder de uma das grandes bandas de Rock: a FunBock. E ele vem com uma proposta irrecusável. Só que apesar da proposta ser apenas profissional, ela vem recheada de insinuações pessoais!

Sacudi minha cabeça tentando afastar os pensamentos levianos. Quando finalmente resolvi dormir no meu beliche apertado, espremido entre os roncos de Phil e Malcom, tenho certeza de que bloqueei toda e qualquer imagem mental de Eve McGonnon numa atitude nada menos do que a usual. Tenho certeza de que falhei porque a última imagem que assolou meu cérebro foi a do sorriso presunçoso de Eve afirmando que queria ter os mesmos direitos que nós. De jeito nenhum eu permitiria isso.

Foi só Eve externar sua vontade de ter a mesma liberdade que os meninos, foi só mencionar que Mitch realmente estava interessado nela que Brandon começou a observar sua amiga de forma diferente... Ela por sua vez resolveu inovar, após perceber que sim os caras olhavam pra ela com desejo ela se sentiu mais segura sobre si e resolveu se soltar mais no palco, fazendo uma performance sexy e deixando os meninos sem entender nada. Isso foi o suficiente para ele ficar louco e resolver beijá-la... Tudo maravilhoso, até que ela se deu conta de que ele poderia tê-la confundido com outra pessoa. Quando ficou esclarecido que esse não era o caso e que ele sabia e queria beijá-la, ela achou que enfim teria seu sonho realizado, mas ele resolveu puxar o cartão da amizade e mais uma vez partiu seu coração.



Cansada ela resolveu aceitar as investidas de Mitch, tudo estava a níveis inocentes, flerte bobo, e aí as coisas ficaram muito confusas quando suas motivações foram questionadas, ela ficou tão magoada que precisou estar sozinha e nesse momento de vulnerabilidade ela queria ser confortada e amada por uma pessoa, mas quem aparece é aquele que vai transformar sua vida num inferno, cheio de ameaças veladas e até violência física. Um vilão totalmente psicopata, não imaginei nem por um momento que a construção desse personagem seria tão intensa e tão rica, simplesmente conseguiu me deixar com bastante raiva, então acho que objetivo foi alcançado!

Eu disse claramente que queria sair com ela logo depois do Show. Aquele erro o momento em eu tiraria Eve McGannon de seu sistema, nem que fosse à força. Agora o máximo que eu consegui foi um camarim destruído e um palpitar irreconhecível de um coração e ego feridos.

Ela está vivendo sob muta tensão, além das ameaças ainda tem que lidar com alguém que a está perseguindo. Muita loucura, regada a muita intensidade, quando ela definitivamente consegue se aproximar do homem que sempre amou, mas que no momento em que ela definitivamente vai precisar dele, mais uma vez ele deixa a desejar, e se comporta como um menininho mimado que perdeu o brinquedo. E aí todas as relações, pessoais e profissionais estão por um fio na DangeRock.

Será que Eve vai conseguir manter sua banda no status de estrelato que eles sempre sonharam? Será que vai conseguir enfim ficar com o cara que ama? Os personagens secundários, são tão especiais que você não consegue não pensar neles... Aí cheguei a conclusão que não seria nada mal conhecer mais de Phil e Malcom (esse aqui com certeza) e, também conhecer toda a história da vida de Brandon. Também precisamos de um livro de Mitch, preciso entender mais dessa personalidade... Fica aí a ideia heim Martinha... Alô, alô Pandorga, pede pra ela fazer uma série vai, os leitores agradecem.

Eu sempre me perguntei o que realmente significava a expressão Felizes para Sempre. Ou o que vinha depois daquilo. Daí, depois de todos os eventos pelos quais passei, percebi que o Felizes para Sempre era o hoje. Viver o dia presente ao lado da pessoa amada, fazendo aquilo que mais amamos. Viver com intensidade, na esperança de que o hoje tenha sido muito mais excitante que o ontem. E o amanhã, mais do que hoje.

Cinco notas musicais com certeza para DangeRock e sua líder phodona!!! É o GirlPower chegando aos livros de roqueiros em grande estilo!!



Ficha Técnica:
Autor: M. S. Fayes
Páginas: 288
Editora: Pandorga
Ano: 2016
Skoob: DangeRock


6 comentários

  1. Humm eu tenho Absoluto da Martinha e ainda não li :/ estou bem interessada nesse livro DangeRock vai ser uma das compras na bienal \o/.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sara você vai amar o Absoluto e toda a trilogia da Lei... E o DangeRock é tão legal quanto, apesar de ser tão diferente dos outros livros!

      Excluir
  2. Awwww! Que resenha amorosa, Anastacia!!! Obrigada por todo esse arroubo de sentimentos, viu? O autor se sente o máximo quando consegue extrair esse tantão de emoções em uma única leitura...

    Amei sua resenha!!!

    M.S. Fayes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu apaixonei pelo livro, a história e os personagens são apaixonantes!!! Já quero mais, viu!!

      Excluir
  3. Parabéns pelo seu novo cantinho amiga, sucesso!!

    ResponderExcluir