Eu não sei dançar

31 agosto 2016

Eu estava ali, sentada em uma mesa mais distante das outras esperando a banda entrar no palco, eu ia ali raramente, mas aquela noite decidi me dar esse prazer, sabia que a música que a banda tocaria iria aquecer o meu coração ao ponto de aumentar a temperatura do meu corpo que se encontrava gelado.

Quando os músicos entraram no palco e se posicionaram eu avistei você ao lado, não estava no meio deles o que me levou a pensar que não seria um músico, fiquei intrigada com que papel você exerceria ali, já que percebi que tinha familiaridade com todos ao que estavam ao redor.

Trocava abraços com as meninas que se vestiam lindamente com vestidos que parecia terem saído do século passado e os meninos com suas gravatas borboletas, assim como a sua, que lhe dava um ar de menino inocente.

Quando os instrumentos ganharam vida eu estava dando um gole no copo de vinho que estivera repousado em minha frente, essa escolha também foi na esperança de me aquecer por dentro, retirar as muralhas geladas que insistiam em ficar em volta do meu coração.

Logo o copo voltou ao seu lugar e eu me vi presa naquela apresentação formidável que acontecia em minha frente, a música expressava um sentimento tão profundo em sua melodia que eu não pude deixar de sentir aquilo tomar conta de mim, olhei para as expressões dos músicos e das pessoas ao redor, quando senti o tom mudar, e as pessoas começarem a dançar.

E você estava ali, com seu sorriso fácil no rosto, dançando como se tivesse nascido para aquilo, como se não houvesse outra coisa na vida a não ser aquele momento, o jeito como mudava os pés de lugar e como segurava na mão de sua acompanhante de dança, a dança que além de serem feitas pelos corpos eram feitas pelos seus olhares.

 

Aquilo me fez ver você, com seus olhos grandes, cor da noite, pretos como um chocolate amargo. Os lábios fartos, os cabelos que estavam curtos, mas não deixa de mostrar alguns cachos que a cada passo que dava teimavam em cair no seu rosto, o que me fez sentir um impulso de ir até lá e tirá-lo dali para aproveitar e admirar a linha de expressão que tinha em seu rosto, rosto de menino, mas que tinha um que de homem e me fez deseja-lo.

Perdida nesse devaneio, não percebi que a música havia acabado até o momento em que te vi batendo palmas, e vibrando pelo momento mágico que acabará de lhe acontecer, uma nova música encheu o ambiente e lá estava você, rodando uma moça no salão, a cena era linda de se ver e um pouco da muralha em meu coração se derreteu.

Talvez você com seu jeito de menino fosse na verdade um anjo que viera ao meu encontro, para trazer ao meu corpo o calor que nunca havia sentido, que nunca havia pedido, que nunca havia permitido, e eu queria tanto poder estar rodando ali com em seus braços e me perder em você.

A noite prosseguiu com muita risada, com rostos rosados, com palmas, e som de pés a dançar no salão, o meu copo de vinho se tornou um segundo e eu sabia que havia feito a escolha certa de estar ali.
Quando chegou o findar da noite as pessoas já estavam mais quietas, e você parou, ali na minha frente e olhou para mim. Eu olhei e não pude evitar e me permitir sorrir para você, eu desejei por toda a noite, durante todas as canções que você pudesse olhar para mim e aqui estava você.

Percebi que  as outras pessoas que estiveram sentadas no bar apenas aproveitando o momento também tinham outros dançarinos parando em frente as suas mesas, então os músicos fizeram uma introdução de uma música animada e você estendeu a sua mão.

“Dança comigo? ”

Eu sentia que tudo o que eu deveria era dizer sim e me levantar, realizar o desejo que me consumia, porém por mais que eu tenta-se me livrar das palavras que estavam se formando em minha garganta eu não conseguia.

“Desculpe, eu não sei dançar”

Você manteve o sorriso no rosto e me observou de perto, minha vestimenta completamente diferente das pessoas com que você andava, mas mesmo assim não pude deixar de notar um brilho no seu olhar. Acredito que sentiu que eu não desejava me expor ou talvez tenha percebido o tremor em minhas mãos e me permitiu ficar ali.

“ Deixamos para uma próxima vez”

E com uma piscada virou e volto em direção para as pessoas que agora se balançam felizes. Meu coração que até pouco nem parecia bater direito agora estava incontrolável querendo sair de dentro do meu corpo, e eu decidi que deveria sair daquele local o mais rápido que conseguisse.

Assim que coloquei os meus pés para fora o gelo tomou conta de mim, segurei com força meu sobretudo em volta no meu corpo e corri um pouco na intenção de pegar um táxi que estava passando por ali, mas antes que eu pudesse dar mais um passo em direção a qualquer lugar senti duas mãos me segurarem.

Quando olhei e vi os olhos que combinavam tanto com aquela noite escura, perdi meu ar, e assim que os seus lábios grudaram nos meus não senti mais nada, e o mundo passou a girar e meu corpo pareceu enfim respirar e foi como se todos esses anos eu estivesse perdida sento metade e só me encontrei ao sentir você, seu gosto doce, seu jeito suave, seus olhos brilhando olhando nos meus.



“Desejei fazer isso a noite inteira. ”

E penso que talvez, pela primeira vez na vida eu tenha conhecido o amor, que eu poderia chamar alguém de meu, que poderia escrever a minha história, porque eu não saberia estar em ouro lugar a não ser ali, nos seus braços, com você.

“ Então se queremos continuar a fazer isso, acho que vou precisar aprender a dançar”

E um som mais lindo do que o que ouvi por toda a noite saiu de seus lábios, e eu senti você me rodando ali, na noite escura, com seus olhos que a partir daquele momento brilhariam como as estrelas, para todo o sempre, só para mim.

5 comentários

  1. Texto incrível Fabi... sou seu fã nº 1... por favor "nunca pare de escrever"!!! Sucesso!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ro, meu grande amigo, seus textos também tocam almas e ajudam as pessoas a acreditarem no impossivel. Obrigada pelo carinho!!!

      Excluir
  2. Lindo texto, como também sou sua fã N ° 1 rs, sou suspeita a falar. Continue com essa essência pois é o que me faz me apaixonar por todas as suas escritas . Um beijo

    ResponderExcluir
  3. Olha Fabi. Parabéns! Muito lindo!! Adorei! Continue assim... Beijão

    ResponderExcluir
  4. Linda história, Fabi! Vc arrasa, amiga! 😍👏👏👏

    ResponderExcluir