Resenha: Uma canção de ninar, @editoraseguinte

17 agosto 2016
Sinopse:
“Não deixe ficar sério demais. Não deixe ele partir seu coração. E nunca, em hipótese alguma, saia com um músico.
Remy não acredita no amor. Sempre que um cara com quem está saindo se aproxima demais, ela se afasta, antes que fique sério ou ela se machuque. Tanta desilusão não é para menos: ela cresceu assistindo os fracassos dos relacionamentos de sua mãe, que já vai para o quinto casamento.
Então como Dexter consegue fazer a garota quebrar esse padrão, se envolvendo pra valer? Ele é tudo que ela odeia: impulsivo, desajeitado e, o pior de tudo, membro de uma banda, como o pai de Remy — que abandonou a família antes do nascimento da filha, deixando para trás apenas uma música de sucesso sobre ela.
Remy queria apenas viver um último namoro de verão antes de partir para a faculdade, mas parece estar começando a entender aquele sentimento irracional de que falam as canções de amor…”

Remy não acredita no amor, ela acredita que a vida exista para ela se divertir, e quando o assunto e meninos, se divertir junto com eles até ela se cansar e simplesmente lhes dar um pé na sua bunda, ela é assim, desde sempre.

Com uma mãe que está prestes a se casar pela 5° vez ela não consegue acreditar que exista o verdadeiro felizes para sempre, essas histórias de amor só existem nos livros que sua mãe escreve, como ela poderia acreditar se o primeiro homem que não deveria decepcioná-la, simplesmente partiu seu coração por nunca conhecer ela, apenas deixando de presente uma canção.

“ O nome da música é “Canção de ninar”. A esta altura, já devo tê-la ouvido um milhão de vezes. Maios ou menos. Sempre me disseram que meu pai a escreveu no dia em que eu nasci. Ele estava na estrada, em algum lugar no Texas, já separado da minha mãe. Segundo dizem, quando ele ficou sabendo do meu nascimento, sentou com o violão e simplesmente compôs essa música, bem ali, em um quarto de hotel na beira da estrada”

Com seu pai ela aprendeu a não confiar jamais nos homens, ele que foi o primeiro homem a quebrar o coração da sua mãe, e que a fez ter uma única regra referente a meninos, nunca jamais se envolver com músicos, uma regra que ela levava muito a sério. 


Sua mãe claro uma romântica incurável, estava prestes a subir no altar com Don, mas outras coisas que os homens trouxeram para ela junto com tanta dor e que ela não conseguia mais lidar com algumas questão, sobrando a Remy o peso e responsabilidade de cuidar de todos os assuntos, atualmente o assunto era o casamento com Don, mas algo grande estava para acontecer na vida de Remy que iria mudar a sua vida.

“ – Você acabou de esbarra em mim, babaca.
Ele piscou.
 - Nossa – ele disse enfim – Que língua afiada.
Só fiquei olhando para ele. Não é um bom dia, amigo, pensei. Você não me pegou num bom dia.
 - É que eu te vi na loja – ele disse, como se estivéssemos curtindo o clima ou a política mundial – Ali perto do mostruário de pneus.
Eu tinha certeza de que estava olhando com cara feia, mas ele não parava de falar.
 - Fiquei pensando que a gente tinha alguma coisa em comum. Senti uma química, vamos dizer. E tive a sensação de que alguma coisa grande estava para conter. Com nós dois. A sensação de que nascemos para ficar juntos. ”

Dexter era um músico, ou poderia dizer que estava tentando ser, desajeitado, sem nenhuma noção de como se vestir ou se portar, era tudo o que Remy desprezava em meninos e o fato daquele rapaz abusado aparecer no seu caminho a deixava ainda mais irada. Pronta para pôr uma pedra no acontecimento do seu dia ela segue de encontro com as suas amigas, as quatro eram inseparáveis e estavam prontas para fazer desse último verão juntas inesquecível.

Pondo o plano em prática Remy estava disposta a dar o pé na bunda de atual “namorado” e escolher um próximo para se divertir no verão até que finalmente estaria livre, de sua casa, de sua mãe e irmão, de sua história que até o momento não tinha nada que vale se a pena ser contada.

Ela estava feliz de ir para a faculdade nesse momento em que sua mãe estava feliz com o mais novo marido e que as coisas pareciam estar se encaixando, ela estava feliz por deixar de cuidar de sua mãe para se preocupar com si mesma. E com isso ela se vê diante de um termino que deveria ser totalmente a seu favor, mas que acabou por provar mais uma vez por que não confiar nos homens, seu “namorado” a estava traindo e isso trouxe um lugar escuro que ela tinha dentro de si a levando a ser a Remy que se depreciava novamente, mas o que ela não esperava era que o destrambelhado do Dexter estaria ali para ajudar ela a se manter em pé.

“ Enquanto o resto do mundo seguia alheio, tomando café, lendo o caderno de esportes e pegando as roupas na lavanderia, eu me inclinava para a frente e beijava Dexter, fazendo uma escolha que mudaria tudo. Talvez em algum lugar houvesse uma reverberação, um salto, uma pequena mudança no universo, quase despercebida. Não senti naquela hora. Senti apenas que ele retribuía o beijo, me levando para a luz do sol enquanto eu me perdia no gosto de sua boca e sentia o mundo seguir seu rumo, como sempre havia feito, a nossa volta. ”

Poderia finalmente Remy estar conhecendo a sensação de gostar de alguém? Seria ela capaz de se deixar levar? Poderá quebrar sua regra tão sagrada e dar um lugar para o desajustado que acabou aparecendo em seu caminho?

Dexter de seu jeito consegue aos poucos penetrar as muralhas impostas em volta de Remy, ele próprio que já teve a vida tão ferrada quanto ela, com uma mãe que também tem uma bagagem de seis casamentos, ele conhece um pouco do sentimento dela, mas sabe que tudo que Remy quer e que ele se torne apenas mais uma história do seu verão, poderá ele se contentar com isso? Ou ele precisa dessa linda garota de verdade, para ser sua?

Será o amor, algo tão forte e profundo capaz de transpor quaisquer traumas que a vida pode ter causado para ambos?

“ Apenas o puxei para mais perto e escorreguei a mão pelo seu pescoço até achar aquele ponto onde dava para sentir as batidas de seu coração. Seu pulso estava rápido, como o meu, e quando o encontrei apertei com força, como se fosse a única coisa nos conectando, e mantive o dedo ali. ”

Uma canção de ninar conta a história de amor de duas pessoas que nunca viram nem sentiram o amor em suas vidas, como amar se você não faz ideia do que seja isso exatamente? Dexter e Remy são personagens cheios de personalidades, com suas piadas sarcásticas eles se completam como casal, Dexter é tão atrapalhado que chega a ser fofo, e Remy ela é forte, mas ela precisa de alguém para ser forte com ela só não está disposta a assumir.

O livro mostra laços familiares, laços de amizade, e o que estamos dispostos a fazer pelas pessoas com que nos importamos, que amamos, e por mais difícil que tenha sido a nossa vida, muitas vezes conseguimos desfazer as amarras e seguir em um futuro feliz.

Para Sarah Dessen e Uma canção de Ninar dou 4 notas musicais, espero que encontre o amor nas páginas dessa história encantadora.



Um grande beijo e até loguinho!
Ficha Técnica:
Autor: Sarah Dessen
Editora: Seguinte
Ano: 2016
Páginas: 320

Nenhum comentário

Postar um comentário