Resenha: Asylum, @plataforma21_

06 fevereiro 2017
Sinopse: Para Dan Crawford, 16 anos, o New Hampshire College Prep é mais do que um programa de verão – é uma tábua de salvação. Um pária em sua escola, Dan está animado para finalmente fazer alguns amigos em seu último verão antes da faculdade. Mas, quando ele chega no programa, Dan descobre que seu dormitório para o verão costumava ser um sanatório, mais comumente conhecido como um asilo. E não apenas qualquer asilo — um último recurso para criminosos insanos.
À medida que Dan e seus novos amigos, Abby e Jordan, exploram os recantos escondidos de sua casa de verão assustadora, eles logo descobrem que não é coincidência que os três acabaram ali. Porque o asilo é a chave para um passado terrível. E existem alguns segredos que se recusam a ficar enterrados.

Com longo olhar escuro a sombra. Que me amedronta, que me assombra, E sonho o que nenhum mortal já há sonhado.
Edgar Alan Poe

Começando com uma citação assim, me faz criar muita expectativa e já sabem né a gente cria expectativa demais e quase sempre o resultado é frustrante, mas vamos lá.

Dan é um típico CDF, sem amigos e totalmente excluído que vai fazer um programa de verão antes de entrar na faculdade. Até aí nada demais. O único problema é que o lugar onde fica o alojamento é um antigo sanatório, o que já o faz pensar no lugar com ressalvas.

Qual não é a surpresa de Dan ao chegar a seu quarto e já encontrar outro rapaz totalmente instalado e bem confortável, Felix, achei esse cara bem suspeito. Jordan, é tão esquisito, segundo os padrões, quanto Dan, mas os papos dos dois no momento em que se conhecem é algo para se guardar na memória... todos já tivemos momentos constrangedores na hora de interagir com novas pessoas, gostei muito desse primeiro encontro.


Bom depois junta-se a essa dupla Abby, e tudo que eles querem é explorar o lugar que é muito estranho e que guarda muitos segredos. Inclusive sobre eles, que até o dia anterior nem se conheciam. E aí começam todas as situações de suspense, porque sim, esse livro é um grande livro de suspense pensado para a galera jovem se introduzir no mundo do terror.
Olhou outra vez para a imagem do diretor com as enfermeiras, uma foto na qual ninguém sorria. Seu reflexo apareceu no vidro do porta-retratos, sobreposto à fotografia. Com um sobressalto, notou quanto era parecido com o diretor.
Achei a história definitivamente interessante, mas em algum momento a autora se perdeu no afã de deixar algumas possibilidades para o próximo livro, acredito eu, ou porque no final das contas nem ela sabia que rumo tomar. Tem ótimas referências da cultura pop no livro, o que se torna mais um atrativo. Mas de uma forma geral é bom livro.

Ele não conseguia deixar de pensar que aquelas chaves eram importantes. Feliz contou que a porta da ala desativada estava aberta no dia em que eles chegaram.
Algumas coisas que lemos nesse primeiro livro, nos remete as sequencias da história. Gostei da arte e da diagramação da obra, acho que ficou muito mais interessante poder olhar para as imagens de destaque de cada capítulo. Quatro notas musicais para Asylum, e sim eu lerei o restante da série.


Ficha Técnica:
Autor: Madeleine Roux
Páginas: 336
Editora: Plataforma 21
Ano: 2014
Skoob: Asylum

Até mais


Nenhum comentário

Postar um comentário