[Entrevista] Cage Nolan

26 outubro 2017
Caminhando lentamente para as janelas diante do prado verde que é o Central Park, Cage Nolan abre os braços, envolvendo a ampla vista do alto que ele tem no 87º andar do arranha-céu em Midtown Manhattan. Ao observar o suspiro da equipe de reportagem diante da vista estonteante, ele sorri. 
O apartamento de 580 metros quadrados, um por andar, fica localizado no altivo arranha-céu, o One57. E mesmo com a imponência do lugar, é nítido ver que o famoso Quarterback dos Jets mantém o ambiente com simplicidade e elegância.
É nesse clima que um dos jogadores mais bem pagos da atualidade nos recebe em seu apartamento, para nos dar uma entrevista exclusiva antes da sua partida para uma longa e merecida férias.


Como começou esse interesse pelo esporte na sua família e quando você decidiu que seria um quarterback? 
CN – Eu cresci no meio de jogadores, meu pai foi um Running Back (Corredor), eu arrisco dizer que futebol sempre esteve no meu DNA.

Como você decidiu aquele passe final e por que optou por uma jogada tão arriscada?
CN – Quando estamos durante o huddle (aquela reunião em que todos ficam abaixados antes de começar a jogada) eu tento seguir conforme foi repassado pelo treinador, eu faço isso na verdade, mas durante o jogo podem ocorrer reviravoltas que normalmente não estamos preparados. Eu penso rápido, nunca tive medo de arriscar.

Você joga na posição mais importante do time. Como é essa sensação?
CN –Eu acho que todos gostamos de um pouco de poder.  (ele dá um meio sorriso), mas é uma grande responsabilidade e eu procuro levar meu trabalho a sério, dentro e fora de campo.

Qual é sua expectativa para os próximos anos?
CN – Sinceramente? Eu não sei, estou saindo para um período de descanso, foram muitos anos me dedicando ao futebol.

Seus anos dedicados ao seu time estão nítidos nas suas mãos, seus anéis de campeão são a prova disso. Como é ser um jogador que ostenta tantos títulos?
CN – Isso (ele olha para a caixa que contém seis cinco anéis de campeão do Superbowl) é resultado de muita disciplina e muito amor pelo que eu faço.



Agora que já sabemos um pouco do seu lado profissional, acho que não me custa tentar fazer umas perguntas pessoais né (a entrevistadora fala dando uma piscadinha)

Qual seu maior medo?
CN – Hoje em dia? Nenhum.

Ficamos sabendo recentemente que você vai voltar para sua cidade natal, qual motivo do retorno?
CN – Dez anos fora de casa, acho que está na hora de uma visita. (ele sorri)

Como é a convivência com sua família?
CN – Meu pai sempre está me visitando, ele é presença constante nos meus jogos.

Certo, isso foi um pouco vago. Sabemos que você tem um irmão, e que ele é um médico brilhante, como é o relacionamento de vocês?
CN – Como você disse, ele é um médico brilhante, não temo muito tempo para confraternizar.

Na escola vocês dois eram inseparáveis, hoje seu irmão é casado e tem um filho, não sente falta disso?
CN – Disso o que?



Família, ter uma esposa e filhos?
CN – Não dá para sentir falta de algo que você não deseja. (ele pisca para a repórter)

Sempre vemos você com mulheres que dispensam apresentação, nenhuma delas conquistou seu coração ainda?
CN – Meu corpo está disponível, o coração não. (todos na sala sorriem)

Reparei que quando falamos sobre mulheres você é totalmente galanteador, será que isso não é uma forma de autodefesa pra não falar sobre quem é seu verdadeiro amor?
CN – Meu verdadeiro amor está nos campos, onde eu posso jogar, onde eu faço aquilo que sou o melhor.

Você tem alguma mensagem para os seus fãs?
CN – Espero que todos entendam essa pausa, e eu prometo que em breve estarei retornando aos campos.

Pois é, ele chega na Amazon dia 31/10 e vocês poderão conferir todo esse charme e carisma. Ou não!

Até mais

Um comentário