Quando uma Garota Entra em um Bar, @Novo_Conceito

11 outubro 2017

Então você se arrumou toda para uma noite de amigas, daquelas onde só as mulheres participam, mas suas amigas mudaram de planos sem avisar e, agora, você está sozinha em um bar superbacana, arrumada e perfumada, e sem saber bem para onde ir...O que você faz? Aproveita que já está por ali, pede uma tequila e dá uma boa olhada no yuppie que está na mesa ao lado? Ou pede uma cerveja e vai pra perto do palco arrebatar o baterista? Pode ser que você prefira uma paquera com o rapaz de botas de bico fino e músculos trabalhados que está encostado à parede. Ou, quem sabe, tomar um café com o bombeiro que está cuidando da segurança dos clientes e que, neste instante, está verificando o funcionamento do extintor...E isso tudo só pra começar! A escolha é sua — e você tem um mundo de possibilidades nesta noite que parecia começar mal! Só não espere que esta experiência seja como outra qualquer, porque esta noite ficará definitivamente marcada em sua memória de erotismo e paixão. Divirta-se com esta definitiva experiência sensual onde você, e só você, terá o controle de seu próprio prazer!

Esse livro chegou em minhas mãos de uma forma maravilhosa: em uma tarde de sebo com as amigas! Kelly já o havia lido e adorado, e me recomendou. Sem hesitar, não o devolvi às prateleiras. O que mais me chamou a atenção no livro foi o meu poder de decisão, ou seja, nós podemos guiar a personagem da forma que a gente quiser, estilo você decide. Não é demais?

Então, quando tive vontade de ler um livro físico, porque geralmente opto por digital, escolhi esse. E já nas primeiras páginas tive que fazer uma escolha, ou seja, qual calcinha usar para ir ao bar, junto com a amiga, que mais tarde você perceberá que desmarcou.



A partir de então, é sempre assim, a personagem toma o rumo que a gente mandar. Porém, para mim foi um pouco frustrante, porque ela recebe um convite para ser fotografada profissionalmente, servindo de modelo para um profissional renomado. 

Eu imagino que se passam muitas páginas no estúdio, supondo que a personagem aceita o convite. Como não aceitei, fui obrigada a passar da página 86 para 175, ou seja, perdi grande parte do enredo por ser medrosa (risos). E eu continuo com receios de me envolver mais, porque o livro acaba e eu fico: ué, mas já acabou? 

Ou seja, por preferir ir para casa, assistir a um filme, comer pipoca e tomar um vinho, confortavelmente vestida de camiseta folgada, terminei o livro na página 221, quando poderia terminar somente na 238. 

Ah, glória! Enfim, em casa. A primeira coisa que faz é descalçar os sapatos e atirá-los no chão perto da porta da frente. Depois puxa o vestido sobre a cabeça, soltando-o, bem como a bolsa, sobre a penteadeira enquanto entra no quarto. 

É claro que o livro é ótimo, e você pode lê-lo várias vezes, sempre optando por um caminho diferente, mas eu quis deixar assim essa experiência inusitada e seguir para o próximo livro. Se eu te recomendo? É claro que sim! Até porque você pode ser uma pessoa mais corajosa e aceitar passar por várias situações pelas quais não passei, rendendo mais páginas de Quando uma Garota Entra em um Bar.

Ficha técnica:
Autor: Helena S. Paige
Editora: Novo Conceito
Ano: 2013
Páginas: 241

Semana que vem voltarei com a resenha de Lady Wistledown Contra-Ataca. Não perca!




3 comentários

  1. Oi Nanda!
    Cara, tenho esse livro faz séculos e é só mais um! Nunca tive vontade de ler! Comprei pq estava barato.
    Depois da sua resenha vou tomar vergonha e ler. Bj

    ResponderExcluir
  2. Oi Nanda!
    Cara, tenho esse livro faz séculos e é só mais um! Nunca tive vontade de ler! Comprei pq estava barato.
    Depois da sua resenha vou tomar vergonha e ler. Bj

    ResponderExcluir
  3. Oi Nanda!
    Cara, tenho esse livro faz séculos e é só mais um! Nunca tive vontade de ler! Comprei pq estava barato.
    Depois da sua resenha vou tomar vergonha e ler. Bj

    ResponderExcluir