Resenha: A História de Malikah, @globo_alt

24 novembro 2017
Sinopse:“Malikah conheceu muito cedo toda a crueldade de que o ser humano é capaz. Escravizada e trazida ainda criança da África ao Brasil, sofreu as mais diversas formas de violência, especialmente depois de ter engravidado de Henrique, o filho do dono da fazenda onde trabalhava. Mesmo sendo resultado de uma relação de amor, estar grávida de um de seus senhores era uma afronta aos homens da casa-grande, por isso Malikah foi duramente castigada e quase morta.Malikah e seu bebê, Hasan, só conseguiram escapar com a ajuda de Cécile e Fernão, que lhes deram abrigo na Quinta Dona Regina, um lugar novo onde todos, brancos e negros, poderiam viver em liberdade. Porém, mesmo com a relutância de Malikah, Henrique continua por perto, arrependido por não ter protegido sua amada e tentando se aproximar de Hasan.Mas como um homem que foi ensinado a cometer tantas atrocidades poderá dar a uma criança o amor incondicional? Apesar de Malikah ainda sentir algo por ele, é possível perdoar alguém que representa para ela tantos anos de injustiça e sofrimento?”

Hoje vamos falar de mais um livro que você deve ler e ter em sua estante sem sombras de dúvidas. Nós do Notas recebemos da Te Gift Box um kit lindo com o novo livro da Marina Carvalho, A história de Malikah, eu adoro o trabalho de Marina, já li todos os seus livros e Amor nos tempos de ouro simplesmente me encantou. Com Malikah não foi diferente.

Antes de falamos um pouco sobre a história dos personagens, acho importante dizer que não se trata de um livro com um simples romance, temos em mãos a nossa história, de nossos antepassados, temos um documento histórico que deve ser lido para nos relembrar e não nos deixar esquecer as injustiças que um povo sofreu, as injustiças impostas por aqueles que se acham no direito de julgar alguém pela cor de sua pele.

Um livro que teve um trabalho de pesquisa muito bem desenvolvido, você consegue perceber isso claramente enquanto está realizando a leitura, e consegue trazer a essência dos sentimentos vividos por aqueles que foram maltratados, você consegue sentir sob a sua pele a realidade dos negros, dos escravos, o seu sofrimento, suas dores, seus medos, suas perdas e também a sua esperança que mesmo em meio a dor ainda existe. 

No primeiro livro conhecemos um pouco da realidade de Malikah a negra escrava que era mantida na casa de Euclides da Cunha desde pequena, a negra que sofreu nas mãos do velho que sequer tinha um coração no peito e com toda a crueldade havia tirado dela a única coisa que ainda achava ter o amor de Henrique.

Agora com Fernão e Cécile, Malikah vive livremente com seu filho Hasan, um filho que não sabe quem é seu verdadeiro pai, um filho que ela quase perdeu quando esteve entre a vida e a morte, e tudo por culpa da falta de coragem de Henrique, o homem por quem se apaixonou aos poucos, que era apenas um amigo, um garoto branco que não a olhava como a negrinha escrava, que provou que ela não deveria nunca ter entregue seu coração e corpo.

“Claro e escuro. Branco e preto. Certo e errado. Henrique e Malikah. Ela poderia passar a noite inteira encontrando antônimos plausíveis para aquela discrepância, todos velhos conhecidos de seus anos de escravidão. ”

Porém Henrique está mais que disposto a provar a Malikah que ele foi fraco sim, mas que ela é o verdadeiro amor de sua vida e que devem estar juntos como família, só não sabe ao certo como faze-lo visto que a mulher que ama o rejeita e o mantém afastado de seu filho, assim como seu irmão Fernão também não permite essa proximidade. O fato de não ter impedido o que aconteceu com aquela que deveria ser a sua família o tornou um espelho de seu pai, e ele jamais quis ser assim, agora estava disposto a fazer tudo para provar que era merecedor de um voto de confiança, que merecia o perdão daqueles que ele amava.

Porém como Malikah que fora tão maltratada por toda a sua vida poderia acreditar que teria a oportunidade de ser feliz com o homem que ama, e é justamente quando uma moça perdida numa estrada se encontra na casa de Cécile e Fernão para ser amparada,ao se deparar com Bibiana é reforçado dentro dela de nunca haverá um lugar onde exista Henrique e Malikah, que o amor deles é impossível, que deve dedicar sua vida a Hasan e se for necessário fugir para outro lugar onde seu coração não fale mais alto que as marcas de seu corpo.

Mas Euclides da Cunha não é homem de desistir de algo que lhe pertence, e mesmo que certas habilidades físicas lhe foram comprometidas, ele estava determinado a acabar com qualquer rastro de liberdade e felicidade de sua escrava e seu pequeno bastardo e fazer seu primogênito sentir o poder de sua traição.

Mas amores verdadeiros são poderosos, não o são? E serão capazes de promover o perdão e reparar erros do passado? Será possível que a menina tão sofrida e o menino que carecia de amor possa enfim ser felizes?

Conhecemos Malikah em seu passado, desde que viera para as terras brasileiras como escrava, ainda menina com sua mãe e sentimos a dor dela, sentimos junto com ela, e conhecemos Henrique, um menino que poderia aparentemente ser privilegiado socialmente, porém carecia de amor, e encontrou isso em sua amiga.

Uma história de amor envolvente, delicada, rica, que nos prende e nos encanta e nos faz suspirar e desejar mais, o que é um traço da escrita de Marina, me encantei com A história de Malikah e dou cinco notas musicais. 



“  Tenho medo – ela confessou – Vosmecê e eu somos tão errados!
 - Tu me disseste isso uma vez e eu tenho que discordar de novo. Para o verdadeiro amor, não há erros.”

Conheçam Malikah e apaixone-se.

Um grande beijos e até mais.

Ficha técnica:
Autor: Marina Carvalho
Editora: Globo Alt
Páginas:336
Ano:2017

Nenhum comentário

Postar um comentário