Resenha: A Coroa da Vingança, @editoraarqueiro

30 janeiro 2018

Em A Coroa da Vingança, terceira e última aventura da série Deuses do Egito, Colleen Houck nos presenteia com um desfecho tão surpreendente e inspirador quanto o elaborado universo mitológico que criou. Meses após sua pacata vida como herdeira milionária sofrer uma reviravolta e ela embarcar numa vertiginosa jornada pelo Egito, Liliana Young está praticamente de volta à estaca zero. Suas lembranças das aventuras egípcias e, especialmente, de Amon, o príncipe do sol, foram apagadas, e só resta a Lily atribuir os vestígios de estranhos acontecimentos a um sonho exótico. A não ser por um detalhe: duas estranhas vozes em sua mente, que pertencem a uma leoa e uma fada, a convencem de que ela não é mais a mesma e que seu corpo está se preparando para se transformar em outro ser. Enquanto tenta dar sentido a tudo isso, Lily descobre que as forças do mal almejam destruir muito mais que sua sanidade mental – o que está em jogo é o futuro da humanidade. Seth, o obscuro deus do caos, está prestes a se libertar da prisão onde se encontra confinado há milhares de anos, decidido a destruir o mundo e todos os deuses. Para enfrentá-lo de uma vez por todas, Lily se une a Amon e seus dois irmãos nesta terceira e última aventura da série Deuses do Egito.

Sou fã assumida da Colleen desde A Maldição do Tigre. Por isso, fiquei bem empolgada para ler sua próxima coleção, a Deuses do Egito, da qual A Coroa da Vingança faz parte, como terceiro e último livro. 

Esta coleção começa com O Despertar do Príncipe, que é muito bom, e me fez continuar a leitura dos outros livros. O Coração da Esfinge também é muito bom, assim como este que resenho, mas acredito que o melhor livro da série seja O Duelo dos Imortais, que é um livro que viria antes de todos, ou seja, o 0.5. Por ele, entendemos muito do que acontece nos outros livros, e eu recomendo que você o leia como primeiro, ao iniciar Deuses do Egito.

Os livros de Colleen são cheios de fantasia e ação, mas o que mais me chama a atenção é o romance entre os personagens, preciso confessar. É isso que me incentiva a ler seus livros, porque não gosto tanto das batalhas que acontecem. 

Se você leu A Maldição do Tigre, sabe que Ren e Kishan brigavam por Kelsey, mas o coração da moça era de Ren. Agora, Lily é dona (literalmente) do coração de Amon, mas acontece que ela está bem dividida por Ahmose. Mas não é traição, e você entenderá o motivo durante a leitura.

Assumo que você leu os outros livros, ok? Porque para fazer esta resenha, preciso contar o que acontece nos volumes 1 e 2. 


Lily tem dentro de si Tia, uma leoa, e Ashley, uma fada. As três formam uma deusa plena de poderes, chamada Wasret, unindo todas as suas forças em alguém pra lá de poderoso. Ela precisa ter esse poder para derrotar Seth, o deus do caos, juntamente com os irmãos príncipes do Egito: Amon, Asten e Ahmose.

- Wasret é de importância vital. Estive esperando que ela surgisse desde a alvorada dos tempos. - Ela deu um beijo suave na minha testa e se virou para encarar os outros, que nos olhavam com expressões de choque. - Lily ainda não vestiu o manto do que ela será. Vocês devem ajudá-la a conseguir isso. 

O primeiro a ser despertado foi Ahmose, e ele e Lily passaram muito tempo juntos. Ela acredita estar se apaixonando pelo irmão, mas são as circunstâncias que estão provocando isso, até porque Lily não se lembra de Amon. Você entenderá isso lendo A Coroa da Vingança, então não culpe a moça sem saber. 

Como disse, Lily possui dentro de si Tia e Ashley. Cada uma tem o seu preferido: Lily e Amon; Tia e Asten; e Ahmose e Ashley. Acontece que todos sabem que a guerra está chegando e o fim de seus dias juntos está perto. Mas a pergunta que não quer calar é: o que será desses personagens após a batalha?

Tia e Ashley não podem viver sem Lily. E nenhuma das três quer isto, pois elas se apegaram bastante umas às outras. Mas, como todos terão um final feliz? Lily acha que ela se tornará uma "casca vazia e inútil, espremida e descartada pelos deuses, que a usavam para trabalhar suas batalhas". E pior que ela nem está errada, não é mesmo?

Ahmose tem um dom que poderia ajudá-los: ele consegue ver os caminhos do futuro. Porém, ele disse que os caminhos terminam com clareza em Wasret, ou seja, quando chega a hora da batalha. Depois, só há o desconhecido. E as coisas tendem a piorar, porque Lily descobriu que, no final, precisará sacrificar alguém que ama para matar a fera. Resumindo: suas felicidades podem não acontecer. 

Começando a andar de um lado para outro e retorcendo as mãos, tentei explicar: - Eu li. Os relevos. E então ele... ele falou comigo. Terei de sacrificar alguém que amo para matar a fera. 

O que temos de diferente neste livro? A inclusão da avó de Lily, que terá participação fundamental no final do livro, assim como o Dr. Hassan. Achei lindo o apoio da avó desde o começo, e ela me surpreendeu muito no final. Falando nisso, o desfecho desta série também foi lindo, digno para todos os personagens. 


Ficha técnica:
Autor: Colleen Houck
Editora: Arqueiro
Ano: 2018
Páginas: 416

2 comentários

  1. Olá Fernanda!!!
    Adorei a resenha!!!
    Estou começando no gênero fantasia, portanto, não conheço muitas histórias, nem autores, como é nesse caso...mas estou disposta a me aventurar e já vou anotar na imensa lista ;-)
    Bjs :-*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, para mim o campeão de fantasia é Harry Potter, mas adoro A Maldição do Tigre, também da Colleen. São excelentes! Beijos.

      Excluir