Resenha: Um Amor Apaixonado, @PedrazulEditora

31 janeiro 2018
Ao contrário do irmão mais velho, o príncipe Tárik odeia o povo inglês, mas o destino coloca sob sua responsabilidade justamente uma nobre inglesa, que acredita ser a síntese da mulher fútil e manipuladora que ele tanto despreza. Mas seu país precisa de uma aliança política e cabe a ele evitar que a ousada filha do duque de Barrington seja sequestrada em sua viagem a caminho do palácio Madinat al-Zahr. Tudo teria se resolvido em poucos dias se uma terrível tempestade de areia não tivesse atravessado o caminho deles. Após dias e noites sozinhos no deserto, a reputação de lady Sinclair fica irremediavelmente comprometida e ele terá de encarar seu pior pesadelo: um casamento, pelo bem de seu país e pela honra da jovem. Será que de um casamento forçado pode nascer um amor apaixonado?

Há alguns meses eu li Um amor Conquistado, o primeiro livro desta coleção. Foi um livro delicioso de ler, pois é uma leitura fácil, um enredo cativante, enfim, li em um dia. Portanto, quando minha amiga quis trocar livros comigo, e me propôs que eu ficasse com esse, não hesitei! Ainda falta ler o segundo, mas como são histórias independentes, furei uma fila imensa para lê-lo assim que possível.

Prudence conheceu o árabe Bahman quando ele ainda era um garoto, amigo de seu irmão, em uma festa em homenagem à Priscila, irmã da garota. Eu digo garota porque era o que Prudence era na época, com seus apenas doze anos. Mal sabia ela que o encontro com Bahman iria mudar seu destino! 

Ela sempre foi amante das histórias do Oriente, e o amigo de seu irmão Phillip era um árabe. Após um incidente, eles se conhecem e Prudence enche o rapaz de perguntas, para satisfazer suas curiosidades infantis. 

Já li sobre isso, mas confesso que algumas coisas são impossíveis de serem compreendidas apenas quando se lê histórias. Você vive num palácio ou numa tenda? Li que as mulheres não podem mostrar o rosto, é verdade? Também li que montam em camelos porque esses animais conseguem atravessar o deserto sem beber água! Nunca vi um camelo de perto!

Bahman acha graça da avidez por respostas, de Prudence, mas responde a todas com muito prazer e ainda promete que, um dia, fará um convite a ela, para que a moça possa conhecer o Oriente, sendo sua hóspede. 

Eu achei que Prudence fosse ficar com Bahman, pois não costumo ler a sinopse. Mas não: ele está prometido desde criança a uma moça de seu país de origem, em um casamento arranjado assim que ela nasceu. O homem que irá despertar sentimentos na nossa protagonista é o príncipe Tárik, irmão de Bahman.


Anos se passam, Prudence hoje é uma mulher e o convite tão aguardado chegou. Por conta de sua amizade, Bahman enviou um convite à família da moça, para que compareçam a seu casamento. Assim, Philiip a acompanhará ao Oriente e seu sonho de conhecer o lugar será realizado. Mas as circunstâncias não favorecerão a viagem de Prudence e ela terá muitos problemas, antes mesmo de chegar ao palácio onde o casamento será realizado e onde  ficarão hospedados.

Isso porque Prudence corre perigo. Não vou entrar em detalhes, porque você conhecerá os motivos ao ler o livro, mas ela terá que continuar o último trecho da viagem pelo deserto, passando por todo tipo de provações: calor, falta de água, falta de comida, perda de animais, falta de conforto, tempestade de areia... Mas talvez o maior dos problemas de Prudence não sejam as provações mencionadas acima, mas a companhia de viagem: o irmão de Bahman, o príncipe Tárik.

Ele é um sujeito arrogante, senhor de si, e ambos não se sentem animados com essa viagem. Tárik tem seus motivos, está certo, ao não querer acompanhar uma inglesa pelo deserto, mas isso não quer dizer que seja justificável tratar a moça mal. Até porque ela se mostrou muito valente, em todo o percurso.

Só que todas as provações do deserto fizeram com que houvesse um atraso na viagem. Assim, Prudence e o príncipe não conseguiram chegar ao palácio antes da comitiva de seu irmão. Com isso, sua reputação ficou maculada. 

Phillip, por sua vez, tinha consciência de que o amigo não era responsável pela situação insólita, e por outro lado não tinha certeza se Prudence concordaria com um casamento, por isso quedou-se em silêncio. Se exigisse reparação em nome da honra, a irmã seria obrigada a aceitar a proposta de Tárik, e ele não gostaria de impor a ela uma vida naquele país tão distante.

O certo seria que eles se casassem. Afinal, ela ficou vários dias e noites no deserto, sozinha com um homem que não era seu marido. Mas como? Apesar da atração inegável, Prudence e Tárik não podem ficar juntos. 

Como uma princesa inglesa sobreviverá no Oriente, longe de sua família? Como um príncipe árabe irá morar na Inglaterra, deixando tudo para trás, para viver em um país que ele odeia? E a origem nobre de sua família jamais aceitará que Prudence se case com um árabe, um selvagem! Leia Um Amor Apaixonado para saber como tudo será resolvido. 


Ficha técnica:
Autor: Silvia Spadoni
Editora: Pedrazul
Ano: 2017
Páginas:200

Nenhum comentário

Postar um comentário