Resenha: Fiquei com seu número, @editorarecord

15 fevereiro 2018
A jovem Poppy Wyatt está prestes a se casar com o homem perfeito e não podia estar mais feliz... Até que, numa bela tarde, ela não só perde o anel de noivado (que está na família do noivo há três gerações) como também seu celular. Mas ela acaba encontrando um telefone abandonado no hotel em que está hospedada. Perfeito! Agora os funcionários podem ligar para ela quando encontrarem seu anel. Quem não gosta nada da história é o dono do celular, o executivo Sam Roxton, que não suporta a ideia de haver alguém bisbilhotando suas mensagens e sua vida pessoal. Mas, depois de alguns torpedos, Poppy e Sam acabam ficando cada vez mais próximos e ela percebe que a maior surpresa da sua vida ainda está por vir.

Sou suspeita para falar, porque adoro os livros da Sophie Kinsella. É por causa dela que amo chick-lit. E suas capas são lindas! Seus romances são repletos de bom-humor, de personagens atrapalhadas, mas cheias de boa intenção. Este é o caso também de Poppy, protagonista deste livro.

Eu não sou muito fã de reler livros, porque a fila de leitura só aumenta, então sinto que perco tempo quando releio um livro, por melhor que seja. Contudo, fiz exatamente o contrário neste ano: sugeri, quando chegou a minha vez de indicar um livro no clube de leitura da minha cidade, o livro Fiquei com seu número. Gostei tanto dele que queria que minhas amigas também conhecessem este livro. E como já fazia um tempo que havia lido, este tive que reler (com prazer).

Poppy está noiva e organizou um chá da tarde em um hotel, como parte das comemorações de sua despedida de solteira. Suas amigas quiseram experimentar o anel nos seus dedos, só que aconteceu uma confusão e o anel de Poppy se perdeu. E mais: logo no dia em que ela iria rever seus sogros, alguns dias antes do casamento. 

A moça não se dá bem com os bagunceiros e intelectuais Tavish, e ela está mais do que desesperada. Por isso, procura sinal no telefone para ligar para as amigas e ver se o anel de diamantes está com alguma delas. Só que não parece ser o dia de sorte de Poppy, pois ela é assaltada e agora está sem anel e sem celular. 

Espere aí: pode ser que aquele seja, sim, o dia de sorte de Poppy, porque ela encontra um telefone jogado em uma lixeira. Tudo pode voltar a ser como era antes, porque agora ela pode entrar em contato com as pessoas, as pessoas podem entrar em contato com ela e o anel será encontrado. Será?

Tenho um celular e um plano. Só levo cinco minutos para escrever o número do meu novo telefone em vinte folhas de papel do hotel, com “POPPY WYATT – ANEL DE ESMERALDA, LIGUE, POR FAVOR!!!!” em enormes letras de forma. Para minha irritação, as portas do salão agora estão trancadas (embora eu tenha certeza de estar ouvindo as faxineiras ainda lá dentro), então sou obrigada a vagar pelos corredores do hotel, pelo salão de chá, pelos toaletes femininos e até pelo spa, entregando meu número para cada funcionário do hotel que encontro e explicando a história. Ligo para a polícia e informo o novo número.

Muitas surpresas estão por vir, por conta deste telefone achado. Isto porque ele pertencia à Violet, secretária de Sam Roxton, que trabalha em uma multinacional. É claro que ele pedirá o telefone de volta, mas Poppy, como toda boa protagonista de Sophie Kinsella, dará um jeito de ficar com o celular da White Globe, pelo menos por enquanto. 

Como eu disse, muitas surpresas estão por vir. Isso porque pessoas de confiança serão colocadas em suspeita, uma empresa consolidada será difamada na televisão, chefes poderão ser presos por corrupção, e muito mais. Em Fiquei com seu número, você verá que as pessoas não são quem elas parecem ser. 

A verdade é que fiquei um pouco surpresa ao falar com Lucinda de manhã. Eu tinha dito a ela eras atrás que ia tirar alguns dias para ajudar com os preparativos. Achei que poderíamos escolher alguma das coisas divertidas juntas. Mas ela basicamente disse não, obrigada. Ela contou uma longa história sobre ter que ir ver o florista em Northwood e precisar passar em outro cliente antes, e basicamente deu a entender que eu atrapalharia. Então, fiquei livre a manhã toda. Eu não ia trabalhar só por ir.

Leia este fantástico livro para saber como tudo irá se resolver, para vários personagens. É incrível, eu recomendo muito este e todos os livros da Sophie!


Ficha técnica:
Autor: Sophie Kinsella
Editora: Record
Ano: 2012
Páginas: 464

Um comentário

  1. Ah nossa queridinha do chick-lit. Adoro esse livro, adorei a resenha Nanda. Maravilhosa indicação, risada garantida. Beijinhos

    ResponderExcluir