Resenha: O Homem Perfeito, @BertrandBrasil

16 abril 2018
Sinopse: Como seria o homem perfeito? Esse é o assunto que Jaine Bright e suas amigas discutem certa noite. Quais seriam suas principais qualidades? Seria ele alto, atraente e misterioso? Precisaria ser carinhoso e atencioso, ou apenas musculoso? Jaine e suas amigas começam com o básico: precisaria ser fiel e confiável, responsável, ter senso de humor. Conforme a conversa fica mais animada, elas montam uma lista engraçada e picante. Sem querer, a lista é divulgada e, da noite para o dia, se torna uma enorme sensação, chamando a atenção, inclusive, da imprensa local e de canais de TV. Nenhuma das quatro esperava tamanha repercussão. Mas o que começou com uma brincadeira entre amigas se torna algo perigosamente sério quando uma delas é assassinada. Recorrendo a seu vizinho, um detetive imprevisível e muito atraente, Jaine precisa desmascarar o assassino para salvar sua vida. Saber em quem confiar pode ser questão de vida ou morte, pois o sonho de um homem perfeito se tornou um arrepiante pesadelo.

“Você vai ser perfeito, nem que precise aprender na base de surras. Está me ouvindo? Meu filho vai ser perfeito.”

Tudo começou como uma brincadeira. Era para ser só mais uma listinha boba entre amigas e acabou se tornando muito mais. Jaine trabalha numa grande empresa de tecnologia, acabou de comprar a casa que tanto sonhou, mas tudo está se transformando em um pesadelo por conta do seu vizinho, que ela não tem certeza se é um alcoólatra inveterado ou um traficante de drogas. Seja o que for, ele está transformando seu sonho em um pesadelo e seu único conforto são seus encontros com suas amigas às sextas à noite para beber, jantar e fofocar, não necessariamente nessa ordem.
“O Fato de o sujeito ser grande e forte só aumentava seu desconforto. Aquela parecera uma vizinhança bem segura, mas não era essa a sensação que seu vizinho de porta passava.”
E é numa dessas saídas que elas decidem fazer a lista do Homem Perfeito. O que um homem precisa para se enquadrar nessa categoria. Então ela e suas amigas, Luna, T.J. e Marcy, fazem uma lista cheia de atributos, desde a personalidade, até quesitos físicos bem específicos. Um verdadeiro guia de impossibilidades de ser concentrada em uma única pessoa. A única coisa que elas não faziam a ideia, é que essa lista se tornaria tema de discussão em todos os jornais, mais cedo ou mais tarde, elas seriam identificadas e o que era só uma brincadeira, se torna uma avalanche de confusão na vida de todas elas. Mas até aí tudo bem previsível de acontecer, haja vista o título. A única coisa é que nada nesse livro é exatamente o que parece.

Sam, o vizinho de Jaine, não tem nada de cara mal. Ele é um policial atarefado e gente muito boa. O bom é que ela também descobre isso a tempo de darmos boas risadas com ambos. A menina que parece frágil, é apaixonada por carros e velocidade e está de babá do carro do pai enquanto ele está em uma viagem com sua mãe. O carro do pai, para mim que sou curiosa, foi um mistério delicioso de se descobrir, e como eu adoro carros amei descobrir a relíquia. Mas nem tudo é alegria nesse livro.
“ – Querida – disse Marci, a voz rouca tão bondosa quanto possível – , se você está procurando pelo homem perfeito, vai passar a vida inteira se decepcionando, porque ele não existe.”
Logo no prólogo nos deparamos com uma situação que nos deixa pensativos, em vários momentos, até descobrir quem Sam era na verdade eu achei que ele era aquele menino do início. Mas fica claro que ele não é. Então o grande mistério é, onde foi parar aquela criança? Mas acabamos por esquecer dele completamente. Principalmente porque a história começa a tomar um rumo completamente inesperado. A lista fica de fato muito famosa e isso desperta a ira de um psicopata. Ele precisa descobrir o que cada amiga incluiu na lista. O que cada uma disse a respeito de ser o Homem Perfeito e aí começa a grande ação do livro.
“Ao homem perfeito, onde quer que ele esteja.”
Com uma escrita muito fluida e apesar do tempo, pois esse livro originalmente foi lançado em 2000, temos uma boa adaptação e apesar dos recursos tecnológicos chamarem a atenção, por não estarem tão em sintonia com nossa realidade hoje, não deixa nada a desejar. Cheio de mistério, ação e muito romance, Linda Howard nos leva a refletir sobre essa necessidade louca de ser perfeito. O quanto as pessoas podem acabar excedendo os limites da razão em busca dessa perfeição e quanto os traumas da infância influenciam em nossa vida adulta.

Prepare sua listinha e venha descobrir se vai dar match com a lista das amigas.

Cinco notas musicais para o livro.

Ficha Técnica:
Autor: Lynda Howard
Páginas: 240
Editora: Bertrand Brasil
Ano: 2018

Nenhum comentário

Postar um comentário