Resenha: O Enigma do Morango, @luadepapel_BRA

16 maio 2018
Em seu primeiro suspense culinário, O Mistério do Chocolate, Hannah Swensen, a famosa confeiteira de Lake Eden e corajosa detetive amadora, provou que, quando se trata de um crime, nada é mais doce do que uma mulher que sabe realmente como investigar os fatos. Agora, a heroína ruiva e de comentários mordazes está de volta, como jurada de um concurso onde a competição é realmente de matar. Hannah estava animada com o sucesso que Lake Eden poderia fazer depois do primeiro concurso anual de sobremesas, e claro, isso incluía aumentar as vendas de sua confeitaria Jarro de Cookies. Mas o que ela não esperava era encontrar o treinador, e colega de juri do concurso, Boyd Watson, morto enquanto comia um de seus deliciosos bolos. Determinada a não deixar a reputação de suas sobremesas fosse colocada em risco e disposta a ajudar a amiga Danielle, esposa de Watson, Hannah começa uma investigação que parece cada vez mais perigosa enquanto a lista de suspeitos do crime não para de aumentar.
Há um tempo, passeando por um dos sebos de minha cidade, me deparei com uma capa linda, bem interessante, e resolvi comprar o livro para mim. Era um romance recheado de mistério, chamado O Mistério do Chocolate. Eu amei esse livro, entrou para os favoritos ever da minha vida! E a grata surpresa que descobri, no final, foi que Joanne Fluke escreveu 19 livros e que esse era o primeiro volume da coleção Os Mistérios de Hannah Swensen. Mas, para minha tristeza, a Lua de Papel apenas publicou dois. Claro que não demorei e adquiri O Enigma do Morango. 
O segundo livro é tão bom quanto o primeiro, e foi muito gostoso relembrar os personagens de O Mistério do Chocolate. Hannah é uma protagonista muito especial, um coração de ouro, e ela continua sendo essa mesma pessoa neste segundo exemplar. Mas, novamente, ela vai dar uma de detetive. 

A cidade Lake Eden, onde Hannah mora, é bem pequena, e aparentemente pacata. Acontece que monotonia não anda parando lá. Mistério envolvendo o chocolate resolvido, agora temos um novo assassinato: o azarado da vez foi o técnico de basquete da escola, o Boyd Watson. Ele já apareceu no primeiro livro e não caiu em nossas graças, por não ser quem parece, mas não gostaria que ele tivesse morrido, e sim, que pagasse pelo covarde que é. 
Lake Eden está sediando um concurso de sobremesas e Hannah faz parte da organização, claro. Todas as noites, ela apresenta um doce de sua autoria, para os jurados, e na noite do assassinato, Boyd leva para casa as sobras do bolo de morango de Hannah, para sua esposa, porque ela está doente e não pôde  assistir ao programa, do auditório. Mas o bolo jamais será comigo por Danielle.
O técnico de basquete do Colégio Jordan estava esparramado no chão de cimento de sua garagem, deitado numa pilha de bolo, chantilly e morangos amassados. Hannah chegou mais perto e engoliu o nó que surgiu em sua garganta. As manchas vermelhas no concreto não eram dos morangos amassados, eram do crânio esmagado de Boyd. Ele estava morto. Hannah não tinha dúvida. Ninguém perde tanto sangue assim e sobrevive...
Mais uma vez Bill, o cunhado de Hannah, que é detetive na cidade, será responsável pela investigação do assassinato. Mike, crush de Hannah e chefe de Bill, também está na investigação, e pede que ela não se meta, como fez em O Mistério do Chocolate, mas é claro que Hannah não vai obedecê-lo. Só que tem mais: ninguém contava que a irmã de Hannah, a patricinha Andrea, mostrasse que ela é muito mais do que um rosto perfeito. Tudo às escondidas do marido, é claro.
No primeiro livro, Hannah acaba descobrindo quem é o assassino, só que antes disso, mais uma pessoa é assassinada. No segundo pode acontecer o mesmo, até porque o assassino continua à solta, e Hannah mais uma vez corre perigo. 
Esses mistérios todos são intercalados com a vida pessoal e profissional de Hannah e de sua família, e mesmo com esses assassinatos, a única coisa que você quer é se transportar para Lake Eden e visitar a Jarro de Cookies...
O timer do fogo apitou quando Rayne Philips se levantou para falar do tempo. Hannah tirou as assadeiras do forno e levou-as até Lisa, que as transferiria para uma grade de metal para esfriar. Ela estava no horário, e tudo que tinha a fazer era entregar os cookies à equipe de jornalismo e participar como julgadora do concurso. Quando tudo isso fosse concluído, este dia absolutamente repulsivo teria acabado.
Lua de Papel, eu preciso dos outros volumes desta coleção. Nunca pedi nada a vocês, então, que tal publicá-los? Garanto que compro todos!
Ficha técnica: 
Autor: Joanne Fluke
Editora: Lua de Papel
Ano: 2012
Páginas: 228

Nenhum comentário

Postar um comentário