Resenha: E Se Acontece?

02 julho 2018
Sinopse: Eu não queria me envolver com Derek Wolfe. Eu não queria me envolver com ninguém. Tudo o que eu queria era começar uma nova vida na América. Mas, quando me encontrei sem ninguém e sem abrigo, ele veio em meu socorro, oferecendo-me um lugar para ficar. Ele é inteligente, bem-sucedido e sexy como o inferno, mal posso dormir sabendo que ele está bem no corredor. E, quando a química entre nós explode uma noite com uma paixão feroz e ardente, é difícil negar que existe algo real entre nós. Mas ele nega. Ele diz que estava bêbado. Ele diz que não voltará a acontecer. Ele diz que não quer este tipo de relação, e que nós não significamos nada. Ele está mentindo. Porque aconteceu novamente, e novamente, e novamente. E é melhor sempre do que a última vez. Sei que podemos ser bons juntos, e eu quero ter a chance de tentar, mas acabei por fugir dele. Porém, o universo parece nos colocar juntos uma e outra vez nos dando sempre o questionamento inevitável "E se acontece" e nos deixamos amar um ao outro?
Hello pessoas, vamos bater um papinho sobre esse livro que é puro amor. Amor e descoberta. Amor e medo. Amor e muita amizade e cada personagem mais encantador que o outro. Inclusive é um dos poucos que eu gostaria muito de falar dos personagens principais e dos secundários com a mesma intensidade.
“Ela era exatamente o tipo de mulher que eu imaginava para mim. Nada nela me desagradava. O problema? Nada nela tampouco me excitava.”
Quando Maxim chega aos Estados Unidos, ele tem sua bagagem e um sonho para viver. Ele quer ser roteirista, mas ele quer acima de tudo, ser ele mesmo. Ser capaz de amar e ser amado sem medo, sem a pressão que ele tinha na Rússia. Deixou sua mãe e sua irmã por lá, mas ele foi em busca de uma vida melhor para todos. Ele só não contava com o grande problema que o aguardava.

“Eu tinha uma desculpa na ponta da língua, quando uma voz soou em minha cabeça. Você não precisa fingir aqui.”
Sem dinheiro, sem ter onde ficar e desesperado ele conta com a ajuda de Ellen, a simpática bartender e proprietária do bar onde ele acabou por perder o pouco que tinha. Ele só não contava que a ajuda dela viria na forma de um homem lindo, Derek. Assim que os dois se conhecem Maxim fica encantado, mas mantém para si tudo o que sentiu, primeiro porque não sabe se o interesse é recíproco, e segundo, ele não sabe se Derek estaria interessado.
“Não sei o que eu esperava – [...] –, mas não o cara alto de cabelos loiros bem aparados que se levantou e estendeu a mão. Não os olhos azuis-cobalto. Não o maxilar quadrado. Eu não esperava alguém como ele. Não esperava nada daquilo.”
Capa Original
Derek sempre soube que uma hora sua irmã o colocaria em apuros, mas ajudar alguém em apuros é uma ótima forma de ficar bem consigo mesmo e fazer o bem que ele foi tão ensinado em sua escola religiosa. Conseguiram captar o primeiro cerne de problema aqui?! Ok! Prossigamos. Nessa de ajudar ao amigo de sua irmã, ele vê que toda a sua força de vontade em manter para si os desejos que julga, errados e pecaminosos fica muito difícil.

Ele não consegue evitar a atração, ele não consegue evitar reparar o corpo, os olhos e toda a alegria e esperança que reside em Maxim, e quando ele o leva para seu destino nessa viagem, ele decide que pode ajuda-lo um pouco mais, e isso não tem nada a ver com a atração e sim com o fazer o que é certo. Tão doloroso ver como Maxim se sente inadequado para Derek, e não por ser Gay, e sim por achar que a condição social dele o faz ser superior. Mexeu comigo, confesso!

E nessa de ajudar ao amigo necessitado, Derek descobre que tudo o que ele reprimiu por tantos anos corre o risco de destruir tudo o que ele mais preza: sua carreira, sua reputação e sua relação com seu pai. Ele não aceita que se sinta atraído por um homem e jamais cogitou assumir isso para si próprio, mas a atração está muito forte e ele sempre quer mais e mais de Maxim para si.
“Poderíamos voltar a fazer as coisas como fazíamos antes de ele ter me agarrado. Deixar para lá. Continuar amigos. Não era como se eu não estivesse acostumado a ocultar minha sexualidade, e eu não queria que nada de ruim acontecesse com Derek.”
Numa história que aborda o quanto os mitos que nos ensinam enquanto somos crianças, interferem de fato no adulto que nos tornamos. Que nos mostra um imigrante sonhador que não desiste de seus sonhos e nem de seus objetivos, mesmo que para isso precise partir seu coração, e de lambuja o nosso. Só posso dizer que a cada página virada, mais meu amor por essa história aumentava. Os melhores personagens e uma linda história de amor. E por favor, fiquem de olho em Carolyn, que mulherão da poh@... 
“Negação era um jogo no qual eu era mestre. Estava familiarizado com o campo, tinha todas as estratégias memorizadas e o uniforme servia em mim como uma luva. Eu o havia usado praticamente minha vida inteira. Não quer sentir algo? É só se recusar a sentir. Não gosta dos pensamentos em sua cabeça? É só rejeitá-los. Não gosta de quem você é de verdade? Finja que essa pessoa não existe.”
Preparem seus corações para entender e descobrir porque era tão difícil para Derek assumir seu amor por Maxim, e entender que mesmo sendo amenizado na ficção, não é fácil ter que lutar contra quem você é, por conta de padrões determinados pela sociedade.

Então vou encerrar minha resenha por aqui e dizer que vocês precisam ler demais essa história. Cinco notas musicais maravilhosas para essa linda história de amor!


Ficha Técnica:
Autor: Melaine Harlow e David Romanov
Páginas: 336
Editora: Hoo
Ano: 2018
Skoob: E Se Acontece? 

Até mais


Nenhum comentário

Postar um comentário