Resenha: As cores da vida

22 agosto 2018
Uma arrebatadora história sobre irmãs, rivalidade, perdão e, em última análise, o que significa ser uma família. As irmãs Winona, Aurora e Vivi Ann perderam a mãe cedo e foram criadas por um pai frio e distante. Por isso, o amor que elas conhecem vem do laço que criaram entre si. Embora tenham personalidades bastante diferentes, na verdade são inseparáveis. Winona, a mais velha e porto seguro das irmãs, nunca se sentiu em casa no rancho da família e sabe que não tem as qualidades que o pai valoriza. Mas, sendo a melhor advogada da cidade, ela está determinada a lhe provar seu valor. Aurora, a irmã do meio, é a pacificadora. Ela acalma as tensões familiares e se desdobra pela felicidade de todos – ainda que esconda os próprios problemas. E Vivi Ann é a estrela entre as três. Linda e sonhadora, tem o coração grande e indomável e é adorada por todos. Parece que em sua vida tudo dá certo. Até que um forasteiro chega à cidade... Então tudo muda. De uma hora para a outra, a lealdade que as irmãs sempre deram por certa é posta à prova. E quando segredos dolorosos são revelados e um crime abala a cidade, elas se veem em lados opostos da mesma verdade.

Eu nunca havia lido nada de Kristin Hannah, mas a curiosidade falou mais alto e As Cores da Vida foi o escolhido. O estreante não será o único, porque eu adorei a escrita dela. Lembrou bastante Nora Roberts, especialmente Ao Pôr do Sol, porque ambas as histórias se passam em ranchos e falam muito de cavalos.

Você irá se deparar com um prólogo triste, quando as meninas recém perderam a mãe. Uma cuidou da outra dali em diante, nos anos que se passaram, mas o amor delas irá sofrer uma rachadura quando Luke retorna à cidade, o vizinho de propriedade e grande amor de Winona. Lembre-se da sinopse: "Vivi Ann é a estrela", só posso dizer isso. Apesar disso, as irmãs se esforçam para manter a promessa de estarem sempre juntas, acima de tudo.

Irmãs são mais importantes que homens, lembra? Fizemos esse pacto há muito tempo. Só porque estou namorando alguém, isso não significa que vou abandonar você e a Win. Eu nunca deixaria um homem fazer isso com a gente.

Só que Vivi Ann diz isso porque ainda não se apaixonou de verdade por alguém. Ela terá a chance de fazer isso mais tarde, e vou ter de repetir novamente um trecho da sinopse para não falar de mais: "até que um forasteiro chega à cidade... Então tudo muda. De uma hora para a outra, a lealdade que as irmãs sempre deram por certa é posta à prova".



A sinopse não me deixa ir muito além, mas a união das irmãs nunca mais será a mesma. Intrigas, mentiras, omissões, tudo isso e muito mais vai acontecer e não há como superar os acontecimentos. Contudo, a situação pode e vai piorar muito quando um assassinato acontece na cidade. Um dos suspeitos? Alguém pertencente à família Grey, da qual as irmãs fazem parte. 

Nós o prendemos, Vivi - afirmou Al. - Por assassinato. É melhor arrumar um advogado. 

A boa notícia é que alguns anos irão passar e alguém também de dentro da família Grey irá fazer algo. Será a chance de remissão de Winona, que poderá ajudar o esperançoso. Final lindo e feliz, mas você precisa ler para descobrir!

Eu sei que fui bastante vaga nesta resenha, mas eu não quis falar mais do que estava na resenha. Apesar disso, recomendo demais este livro, que devorei e deixou saudades. É lindo acompanhar o amadurecimento, o perdão, o amor, os recomeços que acontecem e envolvem a todos. Leia, você não vai se arrepender! 

                                                               

Ficha técnica:
Autor: Kristin Hannah
Editora: Arqueiro
Ano: 2016
Páginas: 352

Nenhum comentário

Postar um comentário