Resenha: As Elizas

29 agosto 2018
Sinopse: SARA SHEPARD, AUTORA DA SÉRIE BEST-SELLER PRETTY LITTLE LIARS, DEIXA SUA MARCA EM MAIS UMA HISTÓRIA COM UMA NARRATIVA HITCHCOCKIANA CHEIA DE MENTIRAS, MEMÓRIAS FALSAS E UMA PROTAGONISTA QUE PRECISA DESCOBRIR A VERDADE PARA SOBREVIVER. 
Quando a escritora estreante Eliza Fontaine é encontrada no fundo da piscina de um hotel, sua família acredita ter sido mais uma tentativa de suicídio fracassada. Mas Eliza jura que foi empurrada, e sua única testemunha é quem a salvou. Desesperada para encontrar o culpado, Eliza toma para si a investigação do caso. 
Mas, conforme a data de lançamento do seu primeiro livro se aproxima, ela se vê com mais perguntas do que respostas. Por que a editora, agente e a família estão misturando os acontecimentos de sua vida com os de seu livro? Ele não é totalmente ficcional?
Hello pessoas, como estamos?!?! Hoje falaremos do novo livro de Sara Shepard, As Elizas. Sara é autora de uma outra série muito conhecida da galera: Pretty Little Liars. A série, tanto de livros, quanto a de TV fizeram muito sucesso. Eu só acompanhei a televisiva e posso dizer que gostei muito de tudo até a penúltima temporada onde virou uma grande confusão.

Aqui conhecemos Eliza, uma autora com alguns transtornos mentais que já tentou se afogar mais de uma vez, e que tem sérios problemas com álcool. Prestes a lançar seu mais recente livro ela é encontrada no fundo de uma piscina, como essa não é a primeira vez que isso acontece, sua família obviamente acha que ela tentou mais uma vez se afogar. Apesar de negar veementemente, sua família obviamente não acredita, uma vez que seu histórico problemático depõe contra ela. E sua agente, acha que foi a melhor jogada que ela poderia ter feito para alavancar vendas. Oi? Se isso vira moda!!!


Mas então, essa autora está escrevendo um livro sobre uma menina que se sente abandonada pela mãe que só trabalha, e é criada pela tia. Nesse ponto a história de Eliza e Dot, a personagem do livro de Eliza, começa a se entrelaçar de forma que nos leva a ficar mais confusos do que encontrando respostas. Como ninguém acredita em sua história cabe a Eliza investigar a própria história e aqui minha gente precisamos de álcool para acompanhar algumas coisas. Criamos uma gama infinita de teorias, mas nenhuma delas nos parece plausível, principalmente quando nós passamos a ficar confusos com as histórias.

E em meio a confusão que se encontra sua vida, e em meio a leitura da história que ela criou, onde identificamos que a personagem que deveria ser praticamente a fofinha, é na verdade uma grande manipuladora e bem dissimulada, ficamos em dúvida sobra a integridade de Eliza também. E é nessa pegada que as coisas vão se desenrolando, ela com dificuldade de identificar pessoas e lugares e nós leitores, com dificuldade de entender se isso é real ou manipulação.

A narrativa do livro nos leva definitivamente a mergulhar na leitura sem querer largar em nenhum minuto, o enredo é muito bom, mas a execução deixou um pouco a desejar. Acho que no intuito de criar as dúvidas a autora se perdeu um pouquinho, mas nada que nos faça não gostar ou perder qualquer detalhe da história. Prepare-se para ser surpreendido, ou não, pelo final.

Quatro notas musicais para as Elizas.

Ficha técnica:
Autor: Sara Shepard
Editora: HarperCollins
Ano: 2018
Páginas: 384
Skoob: As Elizas

Até Mais!

Nenhum comentário

Postar um comentário