Resenha: O Rei das Cinzas

19 agosto 2018
Sinopse: O mundo de Garn já foi composto de cinco grandes reinos, até que o rei da Itrácia foi derrotado e todos os membros de sua família foram executados por Lodavico, o implacável rei de Sandura, um homem com ambições de dominar o mundo. A família real de Itrácia eram os lendários Jubardentes, e representavam um grande perigo para os outros reis. Agora restam quatro grandes reinos, que estão à beira de uma guerra.
Mas há rumores de que o filho recém-nascido do último rei de Itrácia sobreviveu, levado durante a batalha e acolhido pelo Quelli Nacosti, uma sociedade secreta cujos membros são treinados para infiltrar e espionar os ricos e poderosos de Garn. Com medo de isso ser verdade, e a criança crescer com um coração cheio de desejo de vingança, os quatro reis oferecem uma enorme recompensa pela cabeça da criança. 
Na pequena vila de Oncon, Declan é um aprendiz de ferreiro, aprendendo os segredos da produção do fabuloso aço do rei. Oncon está situada na Covenant, uma região neutra entre dois reinos. Desde que a área de Covenant foi declarada, a região existiu em paz, até a violência explodir com traficantes de escravos indo até a vila capturar jovens homens para serem soldados em Sandura. Declan precisa escapar, para levar seu conhecimento precioso para o barão Daylon Dumarch, comandante de Marquensas, talvez o único homem que pode derrotar Lodavico de Sandura, que agora se aliou à fanática Igreja do Deus Único e está marchando pelo continente, impondo sua forma extrema de religião sobre a população e queimando descrentes pelo caminho.
Enquanto isso, na ilha de Coaltachin, o domínio secreto da Quelli Nacosti, três amigos estão sendo instruídos nas artes mortais de espionagem e assassinato: Donte, filho de um dos mais poderosos mestres da ordem; Hava, uma menina séria com habilidades de luta que poderiam derrubar qualquer oponente; e Hatu, um rapaz estranho e conflituoso no qual fúria e calma lutam constantemente, e cujo cabelo é de um tom brilhante e ardente de vermelho.
Hello pessoas, tudo certinho?!?! Hoje falaremos desse livro muito aguardado pelos fãs de fantasia, e que veio com uma edição muito bonita da HarperCollins. Fiest já é conhecido pela série de grande sucesso, Mago, publicada pela editora Arqueiro.
"- Não existe farsa – [...] - quando o sangue é de verdade."


O Rei das Cinzas, querendo ou não nos remete a outra grande obra da fantasia, e  exatamente por esse motivo, não fui surpreendida da forma que esperava, acompanha comigo. Nos continentes gêmeos existem cinco grandes reinos. Um desses reinos é traído e dizimado, mas um descendente ficou para trás e ele foi ajudado por um dos líderes que era muito amigo do rei traído. Pronto coloca o inverno como pano de fundo e temos outra grande obra de ficção, que até tem mais reinos, mas ainda assim semelhança, veja bem semelhança, não é igual, mas aqui o elemento surpresa foi perdido.

Após encontrar esse órfão o tal rei o entrega a uma sociedade secreta que o vai treinar, deixa-lo preparado para o pior e quem sabe se infiltrar nos reinos e se aproximar dos ricos e poderosos. E lá enquanto está sendo treinado, existem outros dois jovens no mesmo propósito. E aqui achei outra grande semelhança com outra saga onde temos três jovens: dois rapazes e uma moça. E pesar das semelhanças pararem nos personagens, me dificultou durante a leitura. Pode ser que o problema tenha sido puramente meu, por que a escrita do autor é realmente muito fluida, mas para mim não funcionou o tanto que eu esperava.

Como todo primeiro livro de série de fantasia, somo introduzidos no universo à medida que somos apresentados a vários personagens, então não temos muita ação por aqui, mas ainda assim o descritivo do autor nos faz viajar e imaginar cada um dos cenários, e cada uma das pessoas graças a riqueza de sua narrativa, e esse é um ponto muito positivo, apesar de ser um livro introdutório, ele não é chato. É longo obviamente, mas muito interessante em todos os aspectos.
"- Quando quatro dos cinco Grandes Reis declaram que só uma fé é verdadeira e todas as outras são heresias, acho que você pode prometer qualquer coisa."
Para um primeiro livro com tantas coisas em comum com outras grandes sagas, temos também ótimas analogias com a história real da humanidade, jogos políticos, intrigas, armações para que um lado se dê bem prejudicando o outro, chegou um momento que me perguntei se estava lendo sobre a política brasileira, risos. Os amantes de fantasia podem e devem conhecer esse livro, e com certeza se encantar com a história.

Quatro notas para esse Rei, que talvez não seja exatamente aquele que você imaginou.

Ficha técnica:
Autor: Raymond E. Fiest
Editora: HarperCollins
Ano: 2018
Páginas: 512

Até mais!

Nenhum comentário

Postar um comentário