Resenha: Arte e Alma

28 setembro 2018
Sinopse: O novo livro de Brittainy C. Cherry mostra a necessidade de encontrar-se e valorizar o que tem mesmo quando as coisas parecem desmoronar ao redor. 
Aria Watson era considerada invisível na escola, mesmo com todo seu talento para arte; em casa era uma boa filha e irmã. Mas tudo mudou quando ela anunciou, aos 16 anos, que estava grávida. E a notícia caiu como uma bomba. Agora ela está aterrorizada e se sentindo mais sozinha do que nunca. Levi Myers mudou-se para Wisconsin para ficar com o pai, que não via desde os 11 anos. Ele precisava se afastar um pouco da mãe e passar um ano com o pai parecia uma boa ideia, mas agora Levi não tem mais certeza. Se a mãe tem problemas, o pai é pior.
Dois adolescentes passando por momentos difíceis e que, sem querer, encontram um no outro alguém que compreenda o que estão passando. Os dois estão despedaçados por dentro, cheios de cicatrizes. Mas, nas manhãs no bosque, enquanto tentam alimentar cervos, ou esperando o ônibus para escola, eles compartilham seus medos e incertezas. Levi está dividido entre o pai e a mãe e Aria precisa decidir o futuro do bebê que está gerando. Em palavras, e até mesmo no silêncio, os dois fazem um ao outro um pouco mais fortes. Apaixonar-se não era o plano, mas às vezes é difícil resistir quando alguém parece entender tão bem sua dor e solidão.
Hello pessoas, tudo certinho?!?! Hoje falaremos de mais um livro de Brittainy C. Cherry. Sim outro! Amém por isso. Arte e Alma acabou de sair pelo selo Galera Record, que é o selo Juvenil do Grupo Editorial Record.

A História de Aria e Levi, apesar de serem personagens bem jovens, é muito complexa e cheia de nuances escuras e coloridas, que nos mostram que os jovens também pasaam por tantos dilemas quanto os adultos. Esse é um dos livros mais lindos da Britt e, por vários motivos, muito especial para mim. 
"Eu precisava ser mais forte do que meus sentimentos, do que aquelas pessoas. Algumas vezes não há escolha."
Aria é a arte. Ela adora as abstratas, adora poder se expressar em suas telas, em seu corpo, mas é muito introspectiva. Com 16 anos sempre foi invisível na escola e na cidade onde mora, até que um momento de fragilidade, onde ser chamada de linda, a colocou em uma situação muito difícil para uma jovem de sua idade.
"Fiquei chocada com o quanto me senti à vontade com o nosso silêncio. Só que, ao mesmo tempo, eu não estava nem um pouco à vontade com o nosso silêncio."
Levi é a alma. Música é a sua vida. Seu violino é seu melhor amigo e quem o mantém são quando sua mãe, mentalmente instável não consegue fazê-lo. Para tentar se libertar e não se afundar, ele decide passar um ano com seu pai. Ele precisa saber o que houve com o amor que antes ele conhecia e que foi tirado de si sem nenhuma explicação. Mas ele encontra um verdadeiro estranho e essa jornada de um ano, piora bastante.
"O plano era tocar até parar de me preocupar com minha mãe lá longe, em casa. Eu queria tocar até meu pai voltar a ser meu pai."
Dois adolescentes que precisam crescer rapidamente e encontrar seu lugar no mundo, arcar com as responsabilidades de suas escolhas e ainda assim precisam lidar com as questões menores de todo adolescente: escola, amigos, bullying. Ela esconde tudo o que sente, não sorri gratuitamente, mas ninguém vê nada de errado nisso, só ele. Levi sorri o tempo inteiro, sorrindo as pessoas não tentam desvendar as dores de sua alma, ninguém vê problema em um garoto sorridente, exceto Aria.
"Uma pessoa que nunca se perdeu de verdade nunca pode se encontrar de verdade."
Esse dois são um encontro de almas. Desde o primeiro encontro você percebe o quanto cada um será importante para o outro. Eles só não contavam que os problemas alheios às suas ações também deveriam ser resolvidos. A vida nem sempre nos sorri, mas com esses dois vemos o quanto dois amigos, duas almas, duas pessoas que se complementam como arte e alma são importantes.
"Às vezes, ficar de dedos mindinhos enroscados era o melhor tipo de carinho.Às vezes, beijos na testa eram o melhor tipo de beijo.E, às vezes, o amor temporário era o melhor tipo de amor."
Essa deveria ser uma leitura obrigatória a todos fãs de histórias lindas, que mesmo com tudo para dar errado e, nos deixar mais pessimistas com a vida, nos mostra o caminho a seguir, não topando com as pedras em nosso caminho, e sim, as colocando para o lado e prosseguindo. 

Cinco notas mais que merecidas!!

P.S.: Uma das cenas mais lindas do livro tem o Levi tocando, essa que é uma música muito especial para mim.

"When you try your best but you don't succeed
When you get what you want but not what you need
When you feel so tired but you can't sleep
Stuck in reverse"
Fix You, Coldplay

Ficha Técnica:
Autor: Brittainy C. Cherry
Páginas: 308
Editora: galera Record
Ano: 2018
Skoob: Arte & Alma

Nenhum comentário

Postar um comentário