Resenha: A Jornada Do Guardião do Portal

03 setembro 2018
Sinopse: Joseph está fugindo e carrega consigo duas crianças ainda muito pequenas. Mas quem é esse Joseph e por que ele foge? Conseguirá este homem escapar, salvando as crianças?A primeira parte de A Jornada do Guardião do Portal é uma fuga ÉPICA, culminando em uma batalha irrefutável.

Hello pessoas tudo certinho?!?! Passando aqui hoje para dar uma super dica de fantasia para vocês. Os fãs de games e RPG encontrão em A Jornada do Guardião do Portal todos os bons elementos de cada um deles.

"A Vingadora Sagrada era um objeto mágico, que poderia ter qualquer formato e o formato escolhido por Joseph era aquele martelo."
Em uma missão extremamente importante, Joseph, mais conhecido como Hammer, está numa luta interna e externa. A interna tem a ver com sua fé e com sua crença, a externa com direito a muita magia e quase nenhuma estratégia, a ver com manter a salvo pessoas importantes para seu mundo.

Diante do dilema de crer ou não em seu para guiá-lo na batalha, ele se vê diante de mais dúvidas do que solução, até porque ele acha que deve resolver tudo sozinho. E aí que ele recebe a ajuda inesperada de dois outros amigos. Com ótimas referências, inclusive contemporâneas, o livro é daqueles que não conseguimos largar. As poucas páginas nos fazem mergulhar de cabeça.
"Um menino de Chicago que assistisse a cena, iria imaginá-lo como Michael Jordan, saltando da entrada do garrafão, praticamente em câmera lenta, fazendo uma manobra estrambólica antes da enterrada."
Para quem curte livros de aventura, esse aqui, consegue em poucas páginas, nos prender e nos fazer ansiar pelo próximo capítulo dessa jornada. Aqui temos uma batalha com início, meio e fim. Não ficamos sem saber a intenção do autor e a direção da história. Mas isso não significa, que não queiramos mais dela.

Prepare-se para mergulhar num mundo de magia e aventura, que te deixará viciado e ansioso pela sequência.

Ficha Técnica:
Autor: Bruno Rocha
Páginas: 56
Editora: Independente
Ano: 2018
Até mais!!

Um comentário

  1. Olá parceira,
    Fico feliz que tenha gostado dessa pontinha do iceberg.
    Muito tiro, porrada e magia, certamente ainda estão por vir.
    Eu ainda não sei se acertei no tamanho da história. Sendo sucinta, atende meu propósito principal, não criar algo que possa ser chato e/ou maçante. Um entretenimento dinâmico, rico em emoções, que se tornam palpáveis mesmo numa ida ao trabalho, na volta para casa, ou naquela meia horinha que sobra do almoço. Quero estar com meu leitor, sem ser invasivo, sem a necessidade de um contrato de leitura, apenas pela diversão e bem estar daquele momento, NOSSO. Todavia, algumas pessoas queriam mais páginas, mesmo na primeira parte. Julgo-os ANSIOSOS rsrsrs.
    Muito obrigado pela resenha e por todo incentivo, hoje e sempre.
    Beijos.

    ResponderExcluir