Resenha: Leve-me com você

14 fevereiro 2019
August Shroeder é um professor de ciências desacreditado e um alcoólatra em recuperação. Todos os anos, seu destino nas férias de verão é o mesmo: a estrada. Em seu trailer, ele percorre quilômetros e mais quilômetros nas rodovias para visitar os belíssimos parques e reservas naturais. Seu plano era visitar o Parque Nacional Yellowstone com seu filho, Phillip, mas agora não há ninguém no banco do passageiro — apenas um punhado de cinzas guardado no porta-luvas, em uma garrafa de chá carregada de significado. Quando o trailer quebra, August busca conserto na oficina mais próxima. Mas, além do motor home pronto para seguir viagem, ele sai de lá com dois garotos a tiracolo — seus novos companheiros nessa road trip — e a chance de repaginar uma viagem que tinha tudo para ser melancólica e permeada por lembranças doloridas. É com a sensibilidade e o encanto que se tornou marca registrada dos livros da linha DarkLove que Catherine Ryan Hyde fala sobre honestidade, luto, perdas, conquistas e transformações, desatando nós nos corações dos leitores e curando feridas que ninguém imaginava ter. Com sua voz poderosa, que já emocionou milhares de leitores pelo mundo, traz à tona uma discussão sobre a imprevisibilidade da vida e como família nem sempre significa dividir o mesmo sangue.

Se você acompanha as minhas resenhas, sabe que geralmente eu posto como o livro chegou até mim. E se você me conhece bem, sabe que não sou de comprar livros físicos. Leio muito e-book e também consigo ler os livros dos meus autores favoritos por conta das parcerias com as editoras, então é raro eu desembolsar para este fim, felizmente. Contudo, Leve-me Com Você eu comprei, e agora vou explicar o porquê.

No encontro de dezembro do meu grupo literário, ficamos de levar os nossos melhores livros lidos em 2018, e a Fernanda Hahne indicou Leve-me Com Você nessa categoria. Ela não pôde contar muito do livro, assim como eu não vou poder contar muito a vocês, mas a minha xará falou do livro com tanta emoção que eu disse: esse eu preciso ler. Então, me presenteei de Natal com a linda edição, como a Darkside costuma fazer.

Adorei Leve-me Com Você. É daqueles livros que você começa a ler e não percebe o tempo passar, e quanto nota já está perto do fim. É uma história envolvente desde as primeiras páginas, e a gente fica torcendo pelos personagens desde o começo, como se fossem nossos amigos. Portanto, também  recomendo! Abaixo vou contar para vocês um pouco da história.


August tem um trailer e todo verão ele viaja para diversos parques. Neste, ele tem uma missão especial: chegar até Yellowstone para espalhar as cinzas de seu filho morto. Acontece que seu trailer quebra, e o dinheiro necessário para o conserto o impedirá de chegar ao destino. É triste de mais, e August fica lamentando a situação por algum tempo, até que o mecânico chega a ele e faz uma proposta que, se o viajante aceitar, o levará ao local desejado para suas férias.

Leve meus meninos com você. No silêncio que se seguiu a fala de Wes, August pensou: É, tem razão, acho que você é maluco. Mas ele disse apenas: Durante o verão inteiro? Sim, vai voltar antes do começo das aulas, não vai? Pode deixar os dois aqui na volta. Até lá, eles vão ver o mundo. Conhecer alguns parques nacionais. Gêiseres. Eles vão poder visitar Yellowstone e conhecer gêiseres. Sabe o que esses garotos viram durante toda a vida? Nada. Só o que existe em torno daqui num raio de setenta quilômetros, mais ou menos. E, vamos reconhecer, isso é nada. 

Não, Wes não é maluco, apesar de fazer uma proposta dessas a August. Ele, com relutância, diz porque não pode ficar com as crianças nos próximos meses, já que há mais do que citei acima. Mas é claro que não vou dizer a vocês. Eu fiquei chocada quando soube, então não vou estragar a surpresa.

Certamente não é o sonho de August passar suas férias de verão com dois garotos, um de sete e um de doze, mas a pressão é grande, e também é a única alternativa de ele chegar ao destino final das férias. Então, ele segue viagem com dois meninos e seu cachorro, que se apega aos filhos de Wes imediatamente. 

A partir de então, conhecemos a rotina de nossos viajantes, e também um pouco mais da vida de cada um. São várias surpresas, todas bem emocionantes e algumas tristes, que nos fazem refletir sobre escolhas e consequências. Aprendemos sobre perdas, luto, verdade, alcoolismo, responsabilidades e sonhos, e principalmente a aceitar o outro como ele é, mais do que tudo. São muitos ensinamentos.

O tempo passa e August, Seth e Henry se apegam um ao outro. E a história de Wes parece não ser exatamente como ele contou. Há risco de os meninos não poderem ser devolvidos na data combinada, pois seu pai está os evitando.

Ao descobrir algumas situações, August pensa seriamente em ficar com os meninos, levá-los para sua cidade e criá-los. Afinal, a viagem criará um elo praticamente inquebrável entre os três. Mas ele é aconselhado a não fazer isso, porque a atitude pode não ser boa para suas vidas.

Não se apegue ao elo que formou com esses meninos. Só vai se machucar. Aceite que foi uma ocorrência única, isolada. Eles prometeram manter contato, mas não vão. Conforme-se com isso. E se voltar a falar com eles, encontrá-los, vai ser uma boa surpresa.

Como você pode perceber, as emoções permeiam todo o livro, mas com o passar dos anos sabemos como realmente ficou a amizade de August com os meninos. Será que seu padrinho tinha razão? Será que o sentimento que os uniu não era verdadeiro? Leia, descubra e se emocione!

Notas máximas para Leve-me Com Você. Só não favoritei porque não curto muito a natureza, e o livro fala bastante, obviamente, das férias passadas ao ar livre. Em escaladas, elementos da natureza, subidas de trilha, e esse assunto não me atrai. Não chega a tirar o encanto do livro, muito pelo contrário, especialmente por uma passagem de Seth adulto, mas foi um empecilho para tornar o livro favorito. 

Ficha técnica:
Autor: Catherine Ryan Hyde
Editora: Darkside
Ano: 2018
Páginas: 336

4 comentários

  1. Super feliz que você gostou, baita responsa indicar um livro, ainda mais um da Darkside,que são em geral mais caros. Mas acho que não tem como não gostar de Leve-me com você, pois é uma história sobre família e relacionamentos familiares, com todas as suas complicações e também alegrias. Adoro histórias com crianças e animais, e nessa temos as duas coisas ( o dog rouba algumas cenas na verdade; cachorro esperto 😉). Achei o enredo super interessante, cheio de licoes de vida. Seth e Henry aprendem muito com August, mas ele também vai descobrir muitas coisas com os meninos; foi uma troca encantadora, que aqueceu meu coração. Como ja tínhamos conversado, eu não esperava o rumo final da história, imaginava outro desfecho; me surpreendeu, mas de maneira positiva. Uma otima leitura, que vou lembrar sempre com muito carinho. Que bom que você também curtiu; estou amando nossas trocas de indicações, que sempre têm dado certo. Que venham sempre mais!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Falou tudo kkkkkk

      Eu também esperava outro final, mas fiquei feliz da forma como terminou, foi bom de qualquer forma.

      Nós já conversamos um pouco sobre esse livro pelo whatsapp né, e foi uma delícia falar sobre ele. Muito obrigada pela sua indicação!

      Excluir
  2. Fernanda, estou admirada com o seu cuidado para não revelar aspectos importantes do livro. Obrigada por resenhar dessa forma! Acho que eu vou adorar essa história com assuntos polêmicos como o alcoolismo e a possível adoção (?) que fiquei curiosa para saber se ocorre. Deve ser gostoso acompanhar os personagens nessa viagem com paisagens ao ar livre e outros detalhes da natureza que me agradam. Que bacana que, mesmo com tantas trocas, e-books e parcerias, você quis comprar esse livro e se presenteou! Nós também merecemos, não é mesmo? Beijos! Karla Samira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, de vez em quando eu me presenteio, e esse livro foi um belo presente. Recomendo muito, e pelo seu comentário acredito que você vá gostar dele! Beijos!

      Excluir