Resenha: Sexo, Sem Amor

25 março 2019
Sinopse: De Vi Keeland, autora best-seller do The New York Times, mais uma história irreverente, sexy e emocionante que vai aquecer ainda mais os seus desejos…
Hunter e Nat se conheceram em uma festa de casamento – ele entre os convidados do noivo, e ela, da noiva. A atração era intensa e mútua, mas Nat, depois de seu último e desastroso relacionamento, havia prometido não mais se interessar por homens charmosos, convencidos e lindos de morrer.
Até que, certa noite, Hunter aparece na casa da mãe dela durante uma reunião familiar. Ele iria trabalhar durante oito semanas na cidade em que Natalia morava e, então, propôs que passassem esse período transando até não poder mais.
Oito semanas de sexo maravilhoso sem compromisso? O que ela teria a perder?“Nada”, pensou. “É só sexo, não amor.”Mas será que isso vai dar certo?
Hello pessoas, tudo certinho?!? Vamos falar sobre mais um livrinho da Diva Vi Keeland, Sexo sem Amor.

Dessa vez vou começar elogiando a UdL, o que é um feito, ja que ultimamente eles estão ferrando capas e títulos para o quê não sabemos. Mas dessa vez mantiveram a capa original (obrigada, UdL) e não colocaram irresistível no título. Duplamente felizes, estamos!!
"Não há aventura sem um pouco de medo."

Aqui conhecemos Nat e Hunter, ela divorciada aos 28, ele solteiríssimo aos 30 e sem planos para mudar isso. Se conhecem no casamento de seus melhores amigos, e a atração é inevitável, mas Nat está fugindo dos homens. E ele obviamente, correrá atrás dela.

Aqui é a parte onde você diz: de novo? Sim! De novo. A fórmula da autora é velha conhecida de quem realmente acompanha a autora, mas para mim é aí que reside o sucesso. As pessoas normalmente criticam, mas eu particularmente gosto de saber que é o livro que vai me despertar alguns sentimentos.
"embora a verdade possa doer, a dor passa mais rápido. São as mentiras e as dúvidas que fazem a gente sofrer por muito tempo."
Tem sempre algum segredo, que nos deixa na expectativa, tem ex namorados/namoradas que por vezes são legais, mas em outras são uns belos "fdps". Normalmente os personagens são gente boa, mesmo o mocinho.  Então eu, particularmente, só vejo vantagem. Aliado a isso a escrita fluida da autora.
"Eu pensava que não estava conseguindo te tirar da minha cabeça, mas era o meu coração que não queria abrir mão de você."
Esse é o típico livro que vai nos garantir boas horas de entretenimento, e nos deixar com um sorrisinho bobo no final da leitura. Hunter e Nat mereciam esse história, os dois precisavam de alegria em suas vidas, e nós passamos o livro inteiro torcendo para isso.
"Ele roubou um pedaço da minha alma– porque as almas vivem para sempre"
Com certeza, cinco estrelas.
Ficha técnica:
Autor: Vi Keeland
Editora: Universo dos Livros
Ano: 2019
Páginas: 416

Até mais!!

Nenhum comentário

Postar um comentário