Resenha: Uma Loucura e Nada Mais

27 junho 2019
TERCEIRO VOLUME DA SÉRIE CLUBE DOS SOBREVIVENTES. Depois de sobreviver às guerras napoleônicas, Sir Benedict Harper está lutando para seguir em frente e retomar as rédeas de sua vida. O que ele nunca imaginou era que essa esperança viesse na forma de uma bela mulher, que também já teve sua parcela de sofrimento. Após a morte do marido, Samantha McKay está à mercê dos sogros opressores, até que planeja uma fuga para o distante País de Gales para reivindicar uma casa que herdou. Como o cavalheiro que é, Ben insiste em acompanhá-la em sua jornada. Ben deseja Samantha tanto quanto ela o deseja, mas tenta ser prudente. Afinal, o que uma alma ferida pode oferecer a uma mulher? Já Samantha está disposta a ir aonde o destino a levar, a deixar para trás o convívio com a alta sociedade e até mesmo a propriedade que é sua por direito, por esse belo e honrado soldado. Mas será que, além de seu corpo, ela terá coragem de oferecer também seu coração ferido a ele? As respostas a todas as perguntas talvez estejam em um lugar improvável: nos braços um do outro.

Eu suponho ter contado a vocês que não gostei muito do primeiro volume da série, e que continuei a lê-la como mais uma chance que dei, do que por vontade de conhecer os outros volumes. Afinal, eu acreditava que a série teria, pelo menos, sete livros, já que são sete sobreviventes, então, teoricamente, cada um teria sua chance de final feliz. E para ler tantos livros, deveria ser uma excelente história, não é mesmo?

Sorte minha que tomei essa atitude, porque o segundo livro já me deixou esperando  ansiosamente pelo terceiro. E agora, estou aguardando o quarto volume com o mesmo fervor (risos). Sorte minha também que junto com o terceiro volume vem um conto, que é a história de Julian, sobrinho do protagonista do primeiro livro. Assim, pude matar as saudades da série logo depois de encerrar o volume que hoje resenho.


O primeiro encontro de Benedict e Samantha não é nada agradável. Aliás, assim como suas vidas. Ela é uma jovem viúva que perdeu o marido há apenas quatro meses, mas que logo depois do casamento soube que não teria uma união feliz. Ficou por anos sendo enfermeira do marido, que sofreu ferimentos de guerra, e agora está nas garras da família dele, que a sustenta, mas principalmente de sua cunhada, que está morando temporariamente com ela.

Ben também é um ferido de guerra, e ele teve uma sequela em suas pernas. Não quis amputá-la, conforme recomendação médica, então hoje anda com dificuldade, dependendo de muletas ou bengalas para tudo. Ele é tido como um inválido pela família, que não o considera capaz de cuidar de suas propriedades, e muito mais. 

Então, quando os dois se encontram, em um incidente que poderia ter sido trágico, os protagonistas não estão nos seus melhores humores. É claro que a primeira impressão não é nada boa, e ambos ficam se perguntando quem é essa pessoa, e o que ela faz nas redondezas. Após descobrir, Ben age como o cavalheiro que é.

Ele podia simplesmente esquecer o episódio, refletiu Ben minutos depois, enquanto subia a escada para  trocar de roupa. Mas odiava a lembrança de ter se comportado de maneira inadequada - e isso era suavizar o que tinha acontecido. Definitivamente lhe devia um pedido de desculpas. 

Uma amizade surge depois do encontro seguinte, e ambos se sentiam seguros porque ela estava de luto e ele não pensava em se casar. Então, Ben e Sam tiveram encontros frequentes, inclusive sem acompanhante, mas de forma inocente até então, por conta de sua aparente situação confortável. 

É claro que os dois vão se apaixonar, e ninguém precisa ser gênio para saber. Só que, como eu disse, Sam ainda possui oito meses de luto pela frente, e ele não deseja se casar. E, para piorar, mesmo que Ben mude de ideia e peça Samantha em casamento, ela não aceitará, pois está desfrutando pela primeira vez de uma vida livre, sem ninguém para cuidar dela.

Mas uma carta mudará novamente a vida de Sam, e de forma drástica. Ela só tem seu cão como consolo, e o desespero que a toma é de partir o coração.

Quebrou o selo com um terrível mau pressentimento. Leu de uma vez só, então inclinou a cabeça e fechou os olhos com força. Depois de alguns instantes, ouviu Tramp ofegante por perto e sentiu seu nada agradável hálito. Um focinho gelado e úmido cutucou sua mão, e ele ganiu. Ela colocou a mão na cabeça dele. - Tramp. Ele lambeu o rosto de Samantha e ganiu de novo, obviamente angustiado. - Ah, Tramp. O desespero de tudo aquilo a envolveu.

E aí ela se lembra de algo há muito esquecido, e que poderá se transformar em sonho ou pesadelo. Então, pede a Ben para auxiliá-la em uma aventura que tem tudo para dar errado, mas as escolhas da protagonista não são muitas.

É isso, não vou me estender mais porque já escrevi muito, e também não quero contar demais, já que a sinopse foi um pouco além do que eu gostaria. Recomendo muito este livro, que nos mostra uma linda história de amor, superação e aceitação. 

Ficha técnica:
Autor: Mary Balogh
Editora: Arqueiro
Ano: 2019
Páginas: 272

Semana que vem a resenha será do conto que vem junto com este livro, numerado 1,5. Não perca!

6 comentários

  1. Aaah que amor! Ultimamente tenho lido bastante romances de época e esse super me interessou, as narrativas são incríveis, pena ser o terceiro e de uma série que será grande, senão ele estaria sendo colocado na minha lista, rs. Adorei sua resenha, beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. May, já saíram três, então a série está pela metade. Sem fazer pressão, mas eu acho que é leitura obrigatória para quem gosta de romances de época kkkk Beijos.

      Excluir
  2. Oi Fê! Lindinho romance, pelo visto! Que bom que você insistiu na série, heim? Amo esse tipo de livro, com grandes dramas e o romance que se desenvolve e quebra o coração do leitor. Quero muito ler! Ótima a sua resenha, super envolvente sem contar muito (como na sinopse).
    Beijos! Karla Samira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, Karla, eu tenho uma relação de ódio com sinopses kkkkk mas mesmo assim não tira a emoção deste lindo livro! Beijos.

      Excluir
  3. Estou apaixonada por essa série da Mary Balogh, pois foge do tradicional e aborda romances pouco convencionais. Adorei os dois primeiros, li um após o outro. Esse terceiro e o conto comprei logo na pré venda, mas ando meio relapsa com meus romances de época; não que não goste, mas ultimamente tenho lido mais os contemporâneos. Amei a sinopse desse terceiro volume e gostei bastante da sua resenha; como sempre, atiçou ainda mais a vontade de ler.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sei que influencio altamente as suas leituras, assim como você as minhas, mas não tem preço e sempre é bom ler você falando isso kkkkkkk

      Recomendo que arrume um tempo para ele, pois é excelente.

      Excluir