Resenha: O Som do Amor

12 setembro 2019
Matt e Laura McCarthy são obcecados pela ideia de herdar a Casa Espanhola — uma construção malcuidada e quase em ruínas no condado de Norfolk, interior da Inglaterra, que tem um valor simbólico para os moradores locais. Para atingir esse objetivo, Laura, a mando do marido, faz todas as vontades do velho Sr. Pottisworth, o proprietário. Entretanto, como o homem nunca deixou nada por escrito, quem acaba por herdar a casa é uma parente distante, Isabel Delancey. Primeiro violino na Orquestra Sinfônica Municipal, em Londres, Isabel tinha uma vida tranquila com seus dois filhos e o marido, mas tudo virou de cabeça para baixo quando ele morreu em um acidente de carro e deixou uma grande dívida. Sua única oportunidade de recomeço é fincar moradia na Casa Espanhola — algo que o casal McCarthy vai tentar impedir a qualquer custo. O som do amor é um romance sobre obsessão, manipulação, segredos e paixões. Por meio de personagens carismáticos e capazes de tudo para realizar seus objetivos, Jojo Moyes mantém seu estilo inconfundível em uma brilhante história de recomeços.

Eu e minha mania de comentar sinopses. Dessa eu também gostei! Retratou bem o enredo do livro, mas não contou demais. E é bem isto mesmo: uma história de obsessão, manipulação, segredos e paixões. Você não quer parar de ler!

Matt é casado com Laura há bastante tempo, e a Casa Espanhola sempre foi o seu objeto de desejo. Sendo assim, ele convenceu sua esposa de que quando o proprietário morresse, eles se tornariam herdeiros e poderiam reformar a casa, tornando-a uma mansão. Matt é arquiteto, e sua loucura é tanta que ele tem projetos prontos para a reforma.


Contudo, para que a casa seja deles, os McCarthy devem ser os herdeiros. Então, ele convenceu Laura a cuidar muito bem do velho proprietário. O sr. Pottisworth é ranzinza e a trata mal, sempre a deixando no limite de seus nervos, mas ela resiste pensando na mansão que herdará. Só que não é bem assim que as coisas acontecem, porque nunca houve testamento e a boa notícia foi parar na casa de Isabel.

-Mas olhe aqui. - A carta datilografada foi colocada em suas mãos. - Não sei se é alguma brincadeira, mas está dizendo que alguém deixou uma casa para você. 

Ela ficou viúva recentemente, e sua única paixão na vida é o violino. Os assuntos domésticos sempre foram responsabilidade do marido e da empregada, e Isabel sempre se dedicou somente ao violino e às suas apresentações. Tudo ia bem até que o marido morre e ela precisa despertar do seu mundo e assumir responsabilidades as quais nunca quis, como uma casa, dois filhos e uma montanha de dívidas.

Isabel está prestes a perder a casa que tem, então imagine quando uma herança inesperada surge. Ela não perde tempo e se muda com as crianças rumo ao desconhecido, para uma cidade e residência onde ela só pisou na infância.

Quando Isabel  e sua família se mudam para a Casa Espanhola, muita gente fica enlouquecida. Ela e sua família, quando veem que a casa está em ruínas e que o dinheiro que possuem não será suficiente para uma boa reforma, mas também Matt, que não suporta ver uma família que não é a sua habitando o local.

- O que eles vão fazer com a casa? - murmurava ele quase para si mesmo. O mau humor dele se recusava firmemente a se dissipar, e ela sentiu um misto de desespero e irritação diante da aparente determinação do marido de deixar aquela casa afetar a vida deles. 

Sendo assim, o arquiteto começa um plano de conspiração contra Isabel. É aqui que começa mais uma parte da obsessão, a maior, por assim dizer, e das paixões. A sorte da violinista é que ela poderá contar com pessoas inesperadas, até então personagens secundários na história, e também com seus filhos, que aprenderão a ter responsabilidades que vieram com a situação da família.

A Casa Espanhola mudará a vida não somente de Matt e Isabel (e seus familiares), mas de toda uma cidade. Muitas histórias virão à tona, como bullying, infidelidade, traição, mas também podemos ver exemplos de amizade e lealdade. Há chance de final feliz, mas não virá fácil, especialmente depois dos acontecimentos que ocorreram no aniversário da filha de Isabel. Nada está tão ruim que não possa piorar!

Ficha técnica:
Autor: Jojo Moyes
Editora: Intrínseca
Ano: 2016
Páginas: 304

Nenhum comentário

Postar um comentário