Resenha: A Protegida

19 setembro 2019
Uma escolha pode conduzi-la à felicidade... Ou partir irremediavelmente seu coração. Liberty Jones é uma garota determinada, mas em sua vida pobre e difícil não há espaço para que ela consiga vislumbrar seus sonhos sendo realizados. Seu único consolo é a amizade e o amor que nutre por Hardy Cates, um jovem que possui ambições grandiosas demais para ficarem enterradas na pequena cidade de Welcome. Apesar da atração irresistível que pulsa entre os dois, tudo o que Hardy não precisa é de alguém para atrapalhar seus planos de sucesso, e ele a abandona no momento mais difícil de sua vida: quando a mãe de Liberty morre tragicamente em um acidente; deixando um bebê para ela criar. Mas a vida traz grandes surpresas e Liberty se vê sob a tutela de um magnata bilionário, que irá oferecer muito mais do que proteção à irmã e a ela, mas também revelará uma forte ligação com o passado obscuro da família de Liberty. O que Liberty não espera é ter de lidar com Gage Travis, o filho mais velho do magnata; o rapaz não aprova a presença dela em sua casa e fará de tudo para afastá-la de sua família... Gage apenas esquece de também mantê-la longe de seu coração. Às vezes a vida tem um senso de humor cruel, entregando-lhe aquilo que você sempre quis no pior momento possível...

Gente, que sinopse é esta? Quem a escreveu, fez praticamente um resumo do livro. Por um lado foi até bom para mim, porque li o romance no final de julho e começo de agosto, e serviu para relembrá-lo. Só por isto, porque para quem não leu, perde toda a graça.

Eu estava ansiosa para ler um romance contemporâneo de Lisa Kleypas, autora de quem sou fã nos romances de época. Eu a considero tão boa quanto Julia Quinn, contudo, infelizmente, para mim ela só é boa nos romances de época mesmo. No contemporâneo, não rolou. Eu quase desisti, mas não é um livro tão ruim para isto, só não dava vontade de continuar a ler, sabe?


Como eu não li a sinopse, não sabia que Hardy abandonaria Liberty. Ele foi seu amor na adolescência, o primeiro amor, e eu sinceramente esperava que os dois fossem ficar juntos desde então.

Também não sabia que a mãe da protagonista iria morrer, muito menos que ela engravidaria e deixaria a menina ainda bebê, aos cuidados de Liberty. Detalhe: muito pouco tempo antes de ela encerrar o Ensino Médio e ir para uma faculdade, se é que uma garota que mora num estacionamento de trailers pode sonhar com Ensino Superior. 

Quando você está caminhando através da escuridão, você não pode depender de nada ou de nenhuma pessoa para iluminar seu caminho. Você tem que depender de qualquer centelha que tiver dentro de si, ou irá se perder. Isso foi o que tinha acontecido a Mamãe. E eu soube que se deixasse isso acontecer comigo, não haveria ninguém para cuidar de Carrington. 

Liberty, então, tem uma vida amarga. Apesar de amar sua irmã com todas as forças, desde seu nascimento, ela precisa trabalhar para sustentar as duas. Sendo assim, procura a opção mais fácil, profissão que ela possui alguma experiência, e se matricula em um curso profissional de cabeleireiros. 

As coisas até que vão bem, por incrível que pareça, pois Liberty consegue uma bolsa de estudos em uma ótima escola, e depois um emprego em um excelente salão, que atende a classe alta. É lá que ela conhece o sr. Travis, um bilionário bem mais velho que ela. Se você espera romance, está enganado, porque o magnata é apenas um protetor da manicure. O mesmo não se pode dizer do filho dele, Gage, com quem Liberty inicia uma relação de gato e rato, após receber uma proposta irresistível do pai. 

Era a primeira vez que eu me sentia atraída sexualmente por um homem que eu não suportava. Como isso era possível? Era uma traição a todas as memórias de Hardy, mas aqui estava eu, desejando um estranho frio, que não poderia ter se importado menos comigo. 

Porém, tudo pode ruir quando pessoas do passado retornam, não somente fisicamente, mas também com a revelação de segredos. É onde a história se torna um pouco melhor, pois até então tudo parece muito insosso.

-Liberty... quem você acha que é o pai de Carrington? 

The Travis Family é o nome da coleção que se inicia com A Protegia, porém não dei continuação a ela, como você pode imaginar. Para mim, agora Lisa Kleypas só nos romances de época!

                                                           
Ficha técnica:
Autor: Lisa Kleypas
Editora: Gutenberg
Ano: 2015
Páginas: 287
Skoob: A Protegida

4 comentários

  1. Oi Fê! Que resenha! Fico feliz quando leio a opinião sincera de leitores sobre livros que de fato não agradaram tanto! Lisa é realmente um fenômeno nos romances de época, que pena que o romance contemporâneo não funcionou bem, mesmo com todos os dramas, morte, brigas de gato e rato (e com a torcida dos leitores)! Beijos e aguardo a próxima resenha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, amiga, eu pensei antes de fazer a resenha, mas acho importante que os leitores conheçam a opinião das leituras, mesmo que não seja positiva. Não é legal só fazer resenha dos que gostei, até porque não é todo livro que nos agrada. Mas não é de todo mal, porque a Lisa é uma excelente autora. Beijos.

      Excluir
  2. Oi Nanda, tudo bem?
    Realmente a sinopse foi um resumão, kkk. Eu sou muito fã da Lisa e até penso em dar uma chance aos contemporâneos dela algum dia, mesmo que a sua resenha tenha me deixado meio desanimada com a ideia rsrs. Uma pena que você não tenha gostado, quando eu tiver uma opinião a respeito dessa leitura, te direi!
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois leia mesmo, May! A minha xará, uma grande amiga minha, que sempre concorda comigo e me indica livros, disse que gostou, e que desta vez nós discordamos. Adoraria conhecer a sua opinião também. Beijos.

      Excluir