Resenha: Livre Para Recomeçar

31 outubro 2019

Anastácia carrega na pele as marcas deixadas por um casamento odioso. Em sua última noite como uma mulher livre, ela perdeu o controle do seu futuro e acabou presa no famoso hospício para alienados do Rio de Janeiro. Mas agora, três anos após sua internação, Anastácia precisará enfrentar o passado e descobrir como recomeçar. Quem ela escolherá ser longe do peso do título de Condessa De Vienne? Graças ao Jornal das Senhoras, Benício de Sá é conhecido como o Bastardo do Café. Lutando diariamente contra a opressão do pai – um dos mais poderosos cafeicultores do Brasil – ele encontrou na construção civil a oportunidade perfeita de mudar seu futuro e deixar uma marca no mundo. Contudo, enquanto a Empreiteira de Sá conquista o cenário carioca, Benício continua preso ao passado e às marcas que carrega na alma. Será que um dia ele conseguirá libertar-se por inteiro das garras do seu pai? Anastácia e Benício se conhecem em meio à ruína, mas é durante a esperança de um novo começo que eles se reencontram. Agora resta saber se estão prontos para recomeçar.

Começo o livro de forma bastante positiva, ao elogiar sua sinopse. Quem me conhece, sabe que sou extremamente chata com sinopses que falam demais, mas não é o caso desta, que foi muito bem escrita. Quem a lê, não descobre coisas antes da hora, e a nossa curiosidade é aguçada.

Em segundo lugar, outro fato positivo sobre o livro. Na minha resenha de Volte Para Mim, eu havia elogiado o vocabulário rebuscado de Paola Alexsandra, que se repete em Livre Para Recomeçar. A autora nos mostra como a nossa língua é rica, e palavras há tempo não utilizadas são exibidas em seu livro, enriquecendo nossa experiência de leitura. 

Em terceiro, conheci Paola pessoalmente no último sábado (26/10), em um evento promovido pelas Livrarias Curitiba da capital paranaense. Moro em Joinville, mas fiz questão de participar do evento porque a fama de atenciosa com as leitoras precede a autora, mas ela me surpreendeu. 

Conversou sem pressa com cada uma, levou marcadores personalizados para todas nós, e ainda preparou mimos para sorteio. Não teve pressa em autografar o livro e chamar a próxima da fila; muito pelo contrário, até chegou a me perguntar que parte mais gostei do livro (e disse que amou minha blusa!). 

Acho que fiquei uns cinco minutos com ela, mas o grand finale aconteceu quando eu disse que havia levado minha família para o evento, e Paola chamou todos para fazermos uma foto. Ela não é demais? Diante disso, o que significa uma viagem de duas horas, para encontrar alguém que nos recebeu com tanto carinho?



Tão cativante quanto a autora, é seu livro. Ele trata de temas marcantes, como violência contra a mulher, machismo, relacionamento abusivo, escravatura e busca pela liberdade, pela oportunidade de recomeçar. São personagens sofridos, não somente Benício e Anastácia, os principais, mas também alguns secundários que possuem destaque, como Quirino, Samuel, Darcília, Irmã Dulce, Marta e Avril. 

Porém, apesar de estarem livres para recomeçar, eles precisarão de muita força e perseverança, e união. As oportunidades apareceram, mas seguir com uma nova vida não será fácil, apesar de possível.  Afinal, além das marcas e cicatrizes aparentes, nossos queridos personagens precisarão curar também as feridas do coração. 

É um romance lindo, com vários trechos excelentes, que separei para você a seguir. Então, não somente recomendo Livre Para Recomeçar quanto também Volte Para Mim, seu romance de estreia, pois são duas histórias que valem a pena serem lidas. E estou no aguardo, ansiosamente, por mais!

Em seus olhos encontrei a força de que precisava para seguir em frente. Ela havia passado pelo mesmo que eu, presa em um relacionamento abusivo sufocante que corrompia a sua existência. Então, juntas, expomos nossas feridas até sermos capazes de curá-las. 
Faremos tudo no tempo certo. E quando o medo ameaçar calar, estarei ao seu lado para lembrá-la do poder ensurdecedor de sua própria voz. 
Em meio a essas terras, espero que centenas de mulheres encontrem uma oportunidade de deixar o passado e edificar um novo futuro. Quero que o abrigo represente esperança - não apenas para mim e para as mulheres que estão ao meu lado, mas a todos aqueles que um dia poderão beneficiar-se dele. Então, resta torcer para que Benício e Samuel estejam preparados para construir muito mais do que paredes e telhados. Quero um prédio sustentado na fé, na esperança e na liberdade de recomeçar.
Somos iguais, duas almas constantemente maltratadas pelo ato despretensioso de amar a pessoa errada. Porém, tenho confiança de que não importa o quanto o mundo tente definir quem somos e merecemos, nosso espírito nunca será abatido. Continuaremos lutando em nome do amor, seja ao construir um abrigo, seja ao criar uma empresa para homens livres. Seguiremos lutando por aquilo que acreditamos. 
Finalmente entendo que perdoar não é esquecer. Que amar esta casa, esta saleta musical e até mesmo Avril não significa calar todos os abusos um dia cometidos por Jardel. Muito pelo contrário, perdoar é reconhecer cada marca ou cicatriz que carregamos, deixando que elas doam e sangrem às vezes, mas nunca permitindo que elas nos dominem completamente.
Nossa força está dentro de nós, mas ela se torna ainda mais invencível quando nos unimos às pessoas que amamos.
O amor-próprio é o melhor presente que podemos nos dar, Benício. É por meio dele que libertamos as amarras do passado e descobrimos a melhor maneira de amar o reflexo que encontramos no espelho.
Sim, eu sei que nunca coloquei tanta citação, mas não consegui deixar de mencioná-las aqui, para você perceber como a obra de Paola nos ensina e dá força, mesmo sendo uma leitura de ficção, não de autoajuda. E também para convencer você a ler Livre Para Recomeçar, pois seus livros são ótimos. Obrigada, Paola, por ser quem você é! 

Ficha técnica:
Autor: Paola Alexsandra
Editora: Planeta, selo Essência
Ano: 2019
Páginas: 400
Skoob: Livre Para Recomeçar

Semana que vem eu volto com mais. Acompanhe para conhecer minhas resenhas!

Um comentário

  1. Uau!!! Quantos temas fortes são abordados nesse livro. Já fiquei super curiosa, pois adoro discussões sobre machismo, violência contra a mulher e escravidão. Claro, temos sempre o que aprender em cada leitura! A propósito, amei sua blusa também! Amo quando sou tão bem tratada quanto você foi e realmente isso faz valer as horas de viagem. Beijos.

    ResponderExcluir