Resenha: História de Um Grande Amor

23 janeiro 2020

Primeiro Volume da Trilogia Bevelstoke. Julia Quinn já vendeu mais 1 milhão de livros pela Editora Arqueiro. Aos 10 anos, Miranda Cheever já dava sinais claros de que não seria nenhuma bela dama. E já nessa idade, aprendeu a aceitar o destino de solteirona que a sociedade lhe reservava. Até que, numa  tarde qualquer, Nigel Bevelstoke, o belo e atraente visconde de Turner, beijou solenemente sua mãozinha e lhe prometeu que, quando ela crescesse, seria tão bonita quanto já era inteligente. Nesse momento, Miranda não só se apaixonou, como teve certeza de que amaria aquele homem para sempre. Os anos que se seguiram foram implacáveis com Nigel e generosos com Miranda. Ela se tornou a mulher linda e interessante que o visconde previu naquela tarde memorável, enquanto ele virou um homem solitário e amargo, como consequência de um acontecimento devastador. Mas Miranda nunca esqueceu a verdade que anotou em seu diário tantos anos antes. E agora ela fará de tudo para salvar Nigel da pessoa que ele se tornou e impedir que seu grande amor lhe escape por entre os dedos.

Miranda Cheever é a melhor amiga de Olívia Bevelstoke, gêmea de Winston Bevelstoke. Os três são inseparáveis e até é esperado naturalmente que Miranda e Winston se casem no futuro, para consolidar a família que sempre foram, contudo acontecimentos ocorridos na festa de aniversário dos gêmeos mudam tudo. 

O pai de Miranda é um tradutor do grego, e ele mal nota sua filha. A mãe também não lhe dá muita atenção, então, ao final da festa, ninguém vai buscá-la. Sendo assim, cabe a Nigel, o mais velho dos Bevelstoke, levar a criança em casa. Ela não o conhecia, pois, aos 19 anos, ele passava a maior parte do tempo fora, estudando. Porém, Nigel, que prefere ser chamado de Turner, foi simpático com a Miranda de dez anos, não a tratou com condescendência, e inclusive a incentivou a iniciar um diário. 


Ela seguiu a dica do irmão da amiga e, chegando em casa, já pediu um caderno ao pai. E sua primeira marcação foi bem interessante, e verdadeira.
2 de março de 1810
 Hoje eu me apaixonei
Nove anos se passam e hoje Miranda e Olívia são duas lindas moças, prestes a debutar. Porém, o sentimento de Miranda por Turner continua inabalável, e circunstâncias fazem com que o moço se torne disponível novamente para o mercado casamenteiro. Ele havia se casado, entenda. Mas agora, está livre. 

Tudo seria muito fácil se lorde Turner não tivesse se tornado um homem amargo, descrente no amor. Ele sente que não pode amar novamente, e decide não se render a nenhuma mulher, mesmo que seja alguém como Miranda, que ele admira e conhece desde criança.

Só que ela lutará muito para conquistar Turner. Miranda se mostrará uma moça forte e decidida, que vai em  busca do que quer. E não mede esforços para isso. 

Eu... Eu simplesmente conheço bem o meu coração e sei que te amo, Turner. E diga alguma coisa, se é que ainda lhe resta algum pingo de decência, porque eu já disse tudo o que poderia e não consigo aguentar seu silêncio, está bem? Ah, pelo amor de Deus! Quer ao menos piscar? Mas nem isso ele conseguiu fazer. 

Porém, aqui entra a minha indignação com o livro. Tem como romance de Julia Quinn ser ruim? Não, claro que não. Ser fraco? Dificilmente. Acontece que em História de Um Grande Amor, assim como em Mais Lindo que a Lua, um dos protagonistas não colabora. Sem contar demais, mas Miranda consegue o que quer, só que depois desdenha. Eu até entendo seus argumentos, contudo em certo ponto a protagonista se mostra chata, voluntariosa, e pode colocar em risco o sentimento de Turner por ela.

Eu odeio personagens orgulhosos e que fazem joguinhos, e isso prejudicou seriamente minha leitura desse livro. Teve momentos em que tive vontade de dar uns tapas em Miranda, e foi por isso que não avaliei com notas musicais máximas.

Mas é claro que já quero a continuação da história, pois os Bevelstokes, assim como Os Bridgertons e os Rokesbys, já conquistaram meu coração.

                                                                       

Ficha técnica:
Autor: Julia Quinn
Editora: Arqueiro
Ano: 2020
Páginas: 288

Semana que vem eu volto com mais. Acompanhe! 

Nenhum comentário

Postar um comentário