Resenha: O Golpe

29 fevereiro 2020
Sinopse: Simon Riske é um espião industrial freelance que, apesar da profissão, consegue ter uma vida relativamente tranquila evitando trabalhos arriscados e sujos e fazendo bicos para bancos, companhias de seguros e o serviço secreto britânico.Até que o gângster Tino Coluzzi leva a cabo o assalto mais audacioso da história de Paris: o roubo de milhões, em dinheiro vivo, de um príncipe saudita – além de uma carta secreta tão explosiva que pode derrubar governos, redefinir alianças e alterar o equilíbrio de poder no mundo ocidental.Riske é então contratado pelo governo americano para recuperar o documento, e para isso terá que acertar as contas com um antigo aliado.No passado, ele e Coluzzi trabalharam juntos, mas a relação criminosa terminou com Riske na prisão. Agora, anos depois, os dois se enfrentam, seguidos de perto por um perigoso policial parisiense, por uma femme fatale russa e o chefe desequilibrado dela – e talvez até pela CIA.
Hello pessoas tudo certinho, passando aqui para falar desse livro maravilhoso. Eu conheci o autor com a Trilogia Jonathan Ransom, que iniciou com A Farsa lá em 2009. Eu me apaixonei pela escrita do autor assim como adoro as tramas de Daniel Silva, todos eles na mesma pegada da espionagem. E aqui não é diferente.
"O passado não está morto. Nem sequer é passado."
Em o Golpe, como nas demais obras, os segredos são o diferencial de toda a trajetória da história. O autor em mestre em nos fazer enxergar as coisas pelo caminho que ele decide, e nós ficamos de olhos fechados, até o momento em que ele nos concede a luz de forma muito inteligente.

Resenha: Punk 57

28 fevereiro 2020
Sinopse: Autora best-seller do New York Times, Penelope Douglas, apresenta seu mais recente romance “New Adult” ...
“Nós éramos perfeitos juntos. Até nos conhecermos.
Misha
Não posso deixar de sorrir com a letra da música em sua carta. Ela sente a minha falta.
Na quinta série, minha professora organizou duplas com colegas de uma escola diferente. Pensando que eu era uma menina – por causa do meu nome – a outra professora me juntou com a sua aluna, Ryen. Minha professora – acreditando que Ryen era um garoto – concordou.
Não demorou muito para descobrirmos o erro. E, em pouco tempo, estávamos discutindo sobre tudo. A melhor pizza para viagem. Android vs. iPhone. Se Eminem é ou não o melhor rapper de todos os tempos...
E foi assim que começou. Nos sete anos seguintes, éramos só nós.
Suas cartas são sempre escritas em papel preto com caneta prateada. Às vezes, recebo uma por semana ou três em um dia, mas eu preciso delas. Ela é a única que me mantém nos eixos, me acalma e aceita quem eu sou por inteiro.
Nós só tínhamos três regras: nada de redes sociais, sem números de telefone e nenhuma fotografia. Nós tínhamos um lance bacana. Por que arruinar isso?
Até eu deparar com uma foto de uma garota, online. Com o nome de Ryen, que ama a pizza do “Gallo” e idolatra seu iPhone. Quais eram as chances?
Que se f*da. Preciso encontrá-la.
Só não imaginava que odiaria o que descobri.
Ryen
Ele não escreve há três meses. Algo não está certo. Ele morreu? Foi preso? Conhecendo Misha, nem um dos dois seria um exagero.
Sem ele por perto, estou ficando maluca. Preciso saber que alguém está me ouvindo. A culpa é minha. Devia ter pedido seu número de telefone, foto ou algo assim.
Ele podia ter sumido para sempre.
Ou poderia estar bem debaixo do meu nariz, e eu nem sequer desconfiava.
Hello pessoas, tudo certinho?!?! Hoje falaremos de Punk 57. Livro da autora Penelope Douglas lançado pela The Gift Box e que é um dos meus queridinhos.

Aqui conhecemos Misha e Ryen e suas histórias inciadas no ensino fundamental. Apesar de nunca terem se visto, e isso ser uma condição acordada entre eles, se tornam amigos especiais, talvez pudessem ser mais que isso, se um dia eles se encontrassem, até o dia que ele corta toda a comunicação.

Resenha: Milagre na 5ª avenida

27 fevereiro 2020

O amor chega para todos ― seja sonhando com ele ou fugindo o máximo que pode. Após Amor em Manhattan e Pôr do Sol no Central Park, Sarah Morgan volta com outra história que vai fazer você suspirar. Eva Jordan ama tudo que envolve o Natal. Romântica incurável, ela passará as festas sozinha esse ano, mas nada destrói sua fé inabalável no amor e nas coisas boas da vida. Quando ela tem a oportunidade de decorar a casa de um escritor rico e famoso na 5ª Avenida, aceita sem pensar duas vezes. O que Eva não esperava, no entanto, é que a casa estaria ocupada por seu recluso ― e misterioso ― dono. Lucas Blade é especialista em escrever cenas aterrorizantes, mas é o Natal que está sendo seu maior pesadelo. Há poucas semanas do prazo final de entrega de seu próximo livro, ele ainda não tem uma história ― nem mesmo um personagem principal! Além disso, o aniversário da morte de sua esposa está chegando, o que o deixa imerso em uma névoa carregada de dor e luto. Eva vive em seu planeta particular e Lucas em um mundo de dor e desconfiança. O que a vida mostra a eles é que duas pessoas diferentes podem ter mais em comum do que imaginam ― incluindo uma atração inegável um pelo outro.

Milagre na 5ª avenida fecha com chave de ouro uma série maravilhosa, que vou guardar com carinho como uma excelente leitura. O meu preferido talvez seja o primeiro, é muito difícil escolher, mas certamente me identifiquei com cada protagonista feminina dessa coleção. 

Eva Jordan era a única das três amigas que procurava uma paixão. Portanto, nada mais justo do que dar um final feliz a ela, não é mesmo? Paige gostava do seu amigo, mas não estava à procura de amor naquele momento, pois sua suposta promoção era o que a motivava. Frankie não só não queria se apaixonar como lutava com todas as forças contra isso, porém Matt a conquistou. 

Resenha: Pôr do Sol no Central Park

20 fevereiro 2020
Após o grande sucesso do livro Amor em Manhattan, Sarah Morgan retorna às livrarias brasileiras com este novo romance da série “Para Nova York, Com Amor”, que vai aquecer seu coração. Frankie Cole e suas duas melhores amigas inauguraram um novo negócio em Manhattan que está sendo um sucesso. Frankie é designer e ama trabalhar com paisagismo de jardins suspensos nos telhados dos arranha-céus da cidade. Entre amizades verdadeiras e um trabalho gratificante, ela tem tudo para ser feliz. Frankie nunca deu muita atenção às relações românticas, sempre preferindo focar em si e no trabalho. Ela e Matt, irmão de sua melhor amiga, se conhecem há anos, mas nunca tiveram nada além de amizade. Até que ele descobre novas coisas sobre a mulher que pensou conhecer tão bem, e decide que não quer passar mais nenhum dia longe dela. Matt sabe que Frankie se mantém segura por trás de sua barreira emocional, mas fará de tudo para superar os bloqueios e conquistá-la.

Você que se apaixonou pelos cinco amigos em Amor em Manhattan e torceu para que Paige e Jake ficassem juntos, agora irá se encantar com o romance de Matt e Frankie. Sim, o Matt que é irmão da Paige e que é amigo de Frankie a vida toda! 

Eu sou suspeita para falar, já que casei com o meu melhor amigo, mas AMO histórias assim, quando um casal de amigos resolve ficar juntos, do nada. Aliás, não é bem do nada né, mas acontece algo que muda tudo e transforma a amizade em amor romântico, além do amor de amigo. É uma delícia ler histórias assim!

Resenha: Apenas Amigos

18 fevereiro 2020
Sinopse: Violet Archer tem o emprego dos sonhos em uma das principais agências de publicidade de Londres. O fato de trabalhar com Ethan Fraser todos os dias o torna ainda mais especial. Ele é o melhor amigo que uma garota poderia ter. E ela nem percebeu como ele é gostoso. Não. Com certeza, não.
Quando uma noite incrível se transforma em uma grande confusão, o mundo de Violet começa a oscilar como uma girafa bêbada andando com pernas de pau. Ela se vê presa em uma teia de segredos, mas nenhum deles é seu. E talvez ela esteja começando a perceber o quanto Ethan é gostoso. E fofo, e gentil e... ah, caramba.
Será que Violet se apaixonou pelo melhor amigo? Essa amizade pode sobreviver a outro segredo? E a pergunta que Violet tem mais medo de fazer: será que Ethan também sente algo por ela?


Hello pessoas, tudo certinho?!?! Segundo e  hoje vamos bater um papinho sobre o mais novo lançamento da editora Bookmarks, Apenas Amigos da autora Elizabeth Grey.

Então garanta o seu aqui:
E-book: https://amzn.to/39Feo93
Físico: https://amzn.to/2SzHgtS

A convite da equipe da editora eu li o livro antecipadamente, então hoje falarei um pouquinho sobre essa experiência. Para começar se você curte comédia romântica/Chick Lit esse livro é seu.

Resenha II: Amor em Manhattan

13 fevereiro 2020
Um romance brilhante sobre três amigas que decidem abraçar a vida – e o amor – em Nova York. Calma, competente e organizada, Paige Walker adora um desafio. Depois de passar a infância em hospitais, ela quer mais do que tudo provar seu valor – e que lugar pode ser melhor para começar sua grande aventura do que Nova York? Mas quando ela perde seu emprego dos sonhos, Paige vai descobrir que o maior desafio será ser sua própria chefe! Só que abrir sua própria empresa de organização de eventos e concierge não é nada, comparado a esconder sua paixonite por Jake Romano, o melhor amigo do seu irmão e o solteiro mais cobiçado de Manhattan. Mas quando Jake faz uma excelente proposta para a empresa de Paige, a química entre eles acaba se tornando incontrolável. Será que é possível convencer o homem que não confia em ninguém a apostar em um feliz para sempre? O primeiro livro da série para 'Nova York, com amor' traz um enredo empolgante e divertido, com personagens superando situações inusitadas em busca do seu final feliz.

Meus gêneros favoritos são romance e chick-lit, e Amor em Manhattan mescla os dois. Só essa informação já seria indicativo de que o livro me conquistou, mas além disso ele é bem escrito e envolvente, e ainda por cima conta a história de amigos. Tudo que me encanta! 

Amor em Manhattan é o primeiro volume da série Para Nova York, com amor. Desde o início eu já vi que iria gostar muito, pois é uma leitura extremamente agradável e divertida, que flui muito bem, e que ainda por cima se parece com outra série que eu amo: Quarteto de Noivas, de Nora Roberts.

Resenha: Bellissima

06 fevereiro 2020

Com Bellissima, Nora Roberts une novamente seus dois maravilhosos ingredientes: romance e suspense. Depois de ter a casa assaltada, a Dra. Miranda Jones decide esquecer o incidente, indo às pressas para a Itália a trabalho. Lá, deverá constatar a autenticidade de um bronze renascentista de uma cortesã da família Médici, conhecido como A Senhora Sombria. Especialista em autenticação de obras renascentistas, Miranda atesta como original uma falsificação. Ao descobrir a farsa, ela decide encontrar a verdadeira peça e revelar o motivo para tal crime. Para isso, terá a ajuda do sedutor ladrão Ryan Boldari, que pensa em se apoderar da obra de arte. Porém, os planos dos dois ruem quando um perigoso assassino começa a persegui-los.

Bellissima foi a minha primeira leitura de 2020, e não é a primeira vez que começo o ano com um livro de Nora Roberts. Afinal, ela é uma das minhas autoras favoritas, por isso é uma ótima maneira de estrear novos 365 (ou 366 dias) de leituras, já que sempre é uma boa pedida.

Contudo, sinto dizer que não foi bem assim. De modo geral, eu gostei do livro, só que foi estranho. E agora eu vou explicar, antes que você me julgue por não amar um livro de Nora (risos).

Resenha: De Volta para Ela

05 fevereiro 2020
Sinopse: Trevor Larson é filho de um militar da Marinha. Ele costuma se mudar a cada poucos anos e, graças às mídias sociais, pode ficar em contato com os amigos que deixa para trás. Mas logo depois que deixa Okinawa, seu melhor amigo, Brad Gray, interrompe o contato e desaparece.
Quatro anos e duas bases depois, Brad ressurge e anuncia que sua família está chegando à base de Trevor na Espanha. Mas muita coisa mudou em quatro anos, e Trevor fica surpreso ao descobrir que Brad agora é Shannon. O reencontro não é exatamente o que os dois esperavam, mas rapidamente se reaproximam, ambos aliviados por terem um ao outro de volta.
Só que nem tudo é um mar de rosas. As forças armadas são um mundo pequeno e não há como manter em segredo a transição de Shannon. Os pais alertam os filhos para manterem distância dela. Ela não pode frequentar a escola por medo de assédio ou coisa pior. E embora seus pais tentem esconder isso, ser banidos por seu único círculo social estando a milhares de quilômetros de casa também os está afetando.
Mais e mais, Shannon se apoia em Trevor. Mas ela também está atraída por ele, e ele está atraído por ela também, sentindo coisas que nunca sentiu antes por ninguém.
Trevor está assustado mesmo assim. Não por namorar uma garota trans. Não por prejudicar a carreira ou a reputação do pai capelão. Mas depois de finalmente recuperar a amiga, ele se atreve a levar as coisas adiante e correr o risco de perder Shannon pela segunda vez?
Hello pessoas, tudo certinho?? Hoje vamos falar de um livro que me encantou muito e que achei um super trabalho da equipe da Cherish Books, De Volta Para Ela.

Esse é um Romance Trans, isso mesmo, a personagem principal, Shannon é uma menina Trans e veio nos contar sua história nessa caminha da tortuosa de fazer a transição. Digo tortuosa por conta do que implica emocional e hormonalmente para a pessoa que está passando por isso.
"Parte de mim ainda se perguntava se Trevor era sincero, ou se seu pai o havia feito se sentir culpado."
Shannon decidiu pedir ajuda dos seus pais logo após Brad, seu nome morto se declarar gay. Só que essa não era a única questão. Ele nunca se viu como um menino e quando na puberdade as mudanças começaram a piorar seu estado mental ele decidiu que era o momento de conversar com sua família e partir para a transição e com isso ela se afastou de tudo e de todos.
"Mas, no fundo, eu tinha que admitir que doía saber que nunca poderíamos ser mais."
Quatro anos depois ela vai para mesma base militar onde seu melhor amigo Trevor está, e ela não hesita em falar com ele. Ela tinha em mente aquele amigo que sempre esteve a seu lado e contava com isso ao se apresentar com sua nova identidade sem receio. E aqui foi o primeiro momento em que vimos o quanto ela e todas as pessoas que passam pela transição são fortes. Primeiro pela decisão e segundo por encarar mundo com suas novas identidades sofrendo todos os tipos de discriminação.

Esse livro realmente me encantou pela sensibilidade, e por como a autora conduziu a história, mostrando que a condição primal para as relações interpessoais é o respeito. As pessoas trans merecem todo o nosso respeito e acolhimento. Eu simplesmente mergulhei de cabeça nessa história e não me arrependo.

"Eu não sabia onde o Futuro nos levaria. Tudo que eu sabia era que estávamos aqui agora."

Se você quiser conferir a história de Shannon e Trevor, clique no link:


Resenha: My Maddie

04 fevereiro 2020
Sinopse em tradução livre:  Nem mesmo o amor pode conquistar os demônios do nosso passado ...
Flame e Maddie encontraram consolo e segurança nos braços um do outro, duas almas fraturadas começando a se curar. Mas, por mais forte que seu amor cresça, ele nunca pode derrotar completamente os demônios de seu passado. Esses demônios estão dormentes, não derrotados.
Agora, um novo inimigo ameaça os Hangmen, e uma nova revelação ameaça a paz que Maddie e Flame mantêm tão próxima. Flame está travando uma enxurrada de guerras - contra o novo inimigo do clube, contra os horrores de seu passado e contra seus medos - mas o fogo em seu sangue pode ser o único vencedor.
Quando Flame começa a espiralar em seu próprio inferno pessoal, cabe a Maddie trazer o marido de volta ao seu coração. Para lembrá-lo que, juntos, eles podem enfrentar qualquer obstáculo em seu caminho. Mostrar a ele que ninguém e nada podem separá-los novamente.
A Maddie dele.
O Flame dela.
A luta pela eternidade.
Hello pessoas, tudo certinho?? Hoje vamos falar desse livro que foi imensamente aguardado por mim, e em respeito a vocês e a autora eu vou conter os spoilers, mas eu queria falar tudoooooo, porque esse livro me derrotou (risos). Afinal hoje é o lançamento e se você é uma fã de Hades Hangmen e uma “Flame Whore” não pode perder esse livro, então garanta o seu aqui: https://amzn.to/36ZwqB6

O Notas recebeu o ARC da autora, então antes de tudo, Thank You, Tillie and Ardent Prose!