Resenha: De Volta para Ela

05 fevereiro 2020
Sinopse: Trevor Larson é filho de um militar da Marinha. Ele costuma se mudar a cada poucos anos e, graças às mídias sociais, pode ficar em contato com os amigos que deixa para trás. Mas logo depois que deixa Okinawa, seu melhor amigo, Brad Gray, interrompe o contato e desaparece.
Quatro anos e duas bases depois, Brad ressurge e anuncia que sua família está chegando à base de Trevor na Espanha. Mas muita coisa mudou em quatro anos, e Trevor fica surpreso ao descobrir que Brad agora é Shannon. O reencontro não é exatamente o que os dois esperavam, mas rapidamente se reaproximam, ambos aliviados por terem um ao outro de volta.
Só que nem tudo é um mar de rosas. As forças armadas são um mundo pequeno e não há como manter em segredo a transição de Shannon. Os pais alertam os filhos para manterem distância dela. Ela não pode frequentar a escola por medo de assédio ou coisa pior. E embora seus pais tentem esconder isso, ser banidos por seu único círculo social estando a milhares de quilômetros de casa também os está afetando.
Mais e mais, Shannon se apoia em Trevor. Mas ela também está atraída por ele, e ele está atraído por ela também, sentindo coisas que nunca sentiu antes por ninguém.
Trevor está assustado mesmo assim. Não por namorar uma garota trans. Não por prejudicar a carreira ou a reputação do pai capelão. Mas depois de finalmente recuperar a amiga, ele se atreve a levar as coisas adiante e correr o risco de perder Shannon pela segunda vez?
Hello pessoas, tudo certinho?? Hoje vamos falar de um livro que me encantou muito e que achei um super trabalho da equipe da Cherish Books, De Volta Para Ela.

Esse é um Romance Trans, isso mesmo, a personagem principal, Shannon é uma menina Trans e veio nos contar sua história nessa caminha da tortuosa de fazer a transição. Digo tortuosa por conta do que implica emocional e hormonalmente para a pessoa que está passando por isso.
"Parte de mim ainda se perguntava se Trevor era sincero, ou se seu pai o havia feito se sentir culpado."
Shannon decidiu pedir ajuda dos seus pais logo após Brad, seu nome morto se declarar gay. Só que essa não era a única questão. Ele nunca se viu como um menino e quando na puberdade as mudanças começaram a piorar seu estado mental ele decidiu que era o momento de conversar com sua família e partir para a transição e com isso ela se afastou de tudo e de todos.
"Mas, no fundo, eu tinha que admitir que doía saber que nunca poderíamos ser mais."
Quatro anos depois ela vai para mesma base militar onde seu melhor amigo Trevor está, e ela não hesita em falar com ele. Ela tinha em mente aquele amigo que sempre esteve a seu lado e contava com isso ao se apresentar com sua nova identidade sem receio. E aqui foi o primeiro momento em que vimos o quanto ela e todas as pessoas que passam pela transição são fortes. Primeiro pela decisão e segundo por encarar mundo com suas novas identidades sofrendo todos os tipos de discriminação.

Esse livro realmente me encantou pela sensibilidade, e por como a autora conduziu a história, mostrando que a condição primal para as relações interpessoais é o respeito. As pessoas trans merecem todo o nosso respeito e acolhimento. Eu simplesmente mergulhei de cabeça nessa história e não me arrependo.

"Eu não sabia onde o Futuro nos levaria. Tudo que eu sabia era que estávamos aqui agora."

Se você quiser conferir a história de Shannon e Trevor, clique no link:


Nenhum comentário

Postar um comentário