Resenha: A festa de divórcio

16 abril 2020

Ainda inédita no Brasil, Laura Dave estreia com o engraçado e diferente A festa de divórcio. Pelo tema abordado, o livro foi assunto de debate em vários fóruns literários, tornando-se sucesso de vendas. A autora está sendo considerada pela crítica especializada uma das possíveis sucessoras de Marian Keyes no gênero chick-lit. A festa de divórcio conduz o leitor à vida de duas mulheres que se encontram nos extremos opostos do casamento, uma se divorciando e outra no momento de confirmação do relacionamento dos sonhos. Apesar de todas as diferenças – distância, condição financeira, idade – Gwyn e Maggie têm uma coisa em comum: ambas estão em uma encruzilhada e enfrentam as mesmas perguntas: até que ponto você deve se esforçar para ficar com a pessoa que ama? Quando é hora de desistir? O best-seller de Laura Dave apresenta um costume cada vez mais comum nos Estados Unidos: a celebração do rompimento amoroso. Talvez para os brasileiros isso seja estranho, mas para o povo do país norte-americano, este momento, quando consensual, deve ser celebrado. Isso porque os envolvidos foram corajosos pela decisão e porque agora os dois poderão ser finalmente felizes, mesmo que com outras pessoas. Laura chega à raiz das questões mais importantes e faz o leitor acreditar em todas as faces do amor, até a do divórcio.

Maggie e Nate estão começando sua vida juntos em um apartamento e também como sócios do restaurante no piso de baixo. Estão felizes e cheios de esperança. Porém, Maggie não imagina que sua vida está prestes a mudar radicalmente. Isso porque seu namorado omitiu diversas verdades dela. 

Para começar, seu nome. Depois, a condição financeira real da família. E mais: tudo horas antes de eles embarcarem rumo à casa dos pais dele, para a festa de divórcio do casal. Eles estão casados há muitos anos e a festa é a oportunidade perfeita para Maggie conhecer os sogros (e a cunhada, que está prestes a ganhar um bebê e enfrenta dificuldades com o namorado).



Porém, Maggie não imagina o que está por vir. E quando eu digo que ela não imagina, considere que nós também não imaginamos. 

As situações inesperadas acontecem uma atrás da outra (desde o ônibus), ao mesmo tempo que sua sogra, Gwyn, está preparando uma festa muito especial para a comemoração do divórcio. Ela contratou um bufê, comprou um vinho caríssimo e também está fazendo o bolo preferido do até então marido, o veludo vermelho.

Com o passar da história, percebemos que nem tudo é perfeito como parece. Gwyn está magoada porque descobriu que há muito por trás dos retiros de budismo que o marido frequenta. E você sabe que uma mulher magoada, que procura vingança, não sossegará enquanto não a tiver.

Já passou. O mais difícil já passou. Protegê-los, proteger seus filhos. E ela julga que conseguiu, que eles acreditaram na versão mais leve da história. Pensa que eles acreditaram em tudo. E por que não acreditariam? Por que eles não aceitariam que o que está havendo é o que ela diz estar havendo? 

Bem, quanto mais estamos perto da festa de divórcio, mais o suspense do que está por vir nos envolve. E, é claro, será uma noite e tanto, com reviravoltas incríveis e algo que poderá estragar a festa em grandes proporções. Por essa, ninguém esperava, por mais bem planejado que tenha sido tudo. 

Será que o romance de Maggie e Nate irá sobreviver? E o que sobrará para Gwyn e Thomas após a celebração fracassada de divórcio? Georgia e Denis conseguirão salvar seu relacionamento? E o que será de Eve, a mocinha do bufê, que está envolvida até o pescoço em segredos? 

Ela olha para Nate, encontra os olhos dele e tem de morder os lábios com força para manter a compostura. Porque agora é real. Ele está parado diante dela, eles estão parados na frente do restaurante, e ela não pode sequer voltar a não saber tudo o que já sabe. Ela não pode voltar à aquele sentimento complacente que tinha de que tudo era simples entre eles, ou de apenas um jeito. Aquela ilusão, em toda a sua glória, termina naquele instante. 

Enfim, recomendo que você leia esse livro. Não acredito que Laura Dave seja a sucessora de Marian Keyes porque acho que há espaço para as duas, ninguém precisa suceder ninguém. Se surgir a oportunidade, lerei outros livros da autora de A Festa de Divórcio, porque mesclou muito bem dois dos meus gêneros literários preferidos: romance e chick-lit. Leia, você vai gostar! 

Ficha técnica:
Autor: Laura Dave
Editora: Bertrand Brasil
Ano: 2013
Páginas: 292

Semana que vem eu volto com mais, não perca! 

Nenhum comentário

Postar um comentário