Resenha: Teto Para dois

21 maio 2020

Eles dividem um apartamento com uma cama só. Ele dorme de dia, ela, à noite. Os dois nunca se encontraram, mas estão prestes a descobrir que, para se sentir em casa, às vezes é preciso jogar as regras pela janela. Três meses após o término do seu relacionamento, Tiffy finalmente sai do apartamento do ex-namorado. Agora ela precisa para ontem de um lugar barato para morar. Contrariando os amigos, ela topa um acordo bastante inusitado. Leon está enrolado com questões financeiras e tem uma ideia pouco convencional para arranjar dinheiro rápido: sublocar seu apartamento, onde fica apenas no período da manhã e da tarde nos dias úteis, já que passa os finais de semana com a namorada e trabalha como enfermeiro no turno da noite. Só que tem um detalhe importante: o lugar tem apenas uma cama. Sem nunca terem se encontrado pessoalmente, Leon e Tiffy fecham um contrato de seis meses e passam a resolver as trivialidades do dia a dia por Post-its espalhados pela casa. Mas será que essa solução aparentemente perfeita resiste a um ex-namorado obsessivo, uma namorada ciumenta, um irmão encrencado, dois empregos exigentes e alguns amigos superprotetores?

Teto Para Dois talvez seja um dos queridinhos de 2019/20. Afinal, o livro foi muito indicado nos últimos meses, desde o seu lançamento, porque é uma leitura leve, divertida e envolvente. A capa também nos chama a atenção, assim como a sinopse (disse bastante, mas adorei). 

Por esses motivos, furei minha longa lista de leitura e resolvi ler Teto Para Dois, porque as leituras anteriores não estavam me agradando (culpo a pandemia, não os livros). Realmente estava com dificuldade de concentração e precisava urgentemente de uma boa leitura para esquecer os problemas.

E Teto Para Dois cumpriu bem seu papel. Ao ler a sinopse para fazer a resenha, relembrei bons momentos que passei ao conhecer a rotina de Leon e Tiffy. E sim, eu recomendo e sempre indico quando encontro alguém que precisa relaxar com um bom livro.


Tiffy tem dois excelentes amigos, os melhores que alguém pode ter. Mas ela não pode morar com eles, porque o cubículo já é pequeno para o casal e ela não quer incomodar. Porém, precisa com urgência sair do apartamento do ex-namorado, até porque ele já tem outra.

Leon precisa provar a inocência do irmão que está preso. O salário de enfermeiro é insuficiente para contratar um bom advogado. Aliás, nem para pagar o imprestável ele consegue. Sendo assim, toma uma decisão inusitada. 

Já que seu apartamento fica livre durante a noite e aos finais de semana, por que não alugá-lo a alguém que trabalha em horário comercial? Os dois nunca se encontrariam, então não haveria problema.

É claro que a namorada de Leon não gostou nada disso, então ela resolveu tomar conta da situação e resolver as questões burocráticas. Sendo assim, é ela que Tiffy encontra quando precisa. Leon somente se comunica com a locatária por post-its. Os dele são curtos, pequenos, enquanto os dela ocupam vários bilhetinhos. 

A cama é a parte mais estranha dessa história de dividir o apartamento. Durante o primeiro mês, eu colocava meus lençóis à noite e os tirava toda manhã e me deitava no limite do lado esquerdo, o travesseiro afastado do dele. Mas agora não me preocupo em trocar os lençóis - só deito do meu lado. Na verdade, tudo é bem normal. Claro, ainda não conheci de verdade meu colega de apartamento, e sei que isso é tecnicamente muito estranho, mas começamos a deixar bilhetes com mais frequência e às vezes até esqueço que não tivemos essas conversas ao vivo. 

Tiffy é muito divertida e falante, e atulhou o apartamento com suas tralhas, enquanto Leon é quieto, calado, tímido. Mas o tempo passa e os dois começam a se apegar. É lógico! É por isso que esse romance é tão fofinho e envolvente! E os post-its começam a ser insuficientes. Assim como as comidas que um prepara para o outro, sempre com um bilhetinho ao lado.

Apoio a testa na porta da geladeira por um instante, então passo os dedos pelas camadas de papel e post-its. Há tanta coisa aqui. Piadas, histórias, o desdobramento lento de duas pessoas cujas vidas estão mudando em paralelo - ou, talvez, em sincronia. Momentos diferentes, mesmo lugar. 

E se você pensa que o primeiro encontro dos dois vai ser romântico e idílico, está muito enganado. É algo inacreditável, surpreendente e muito engraçado (e pra lá de constrangedor). Porém, o laço que eles vão criar é muito forte, e os dois vão passar por muitas situações juntos.

Em Teto Para Dois você encontrará drama, problemas familiares, informações desencontradas, laços quebrados, romance (muito romance fora do tradicional), amizade incondicional, relacionamento abusivo e vontade de ajudar. Eu recomendo MUITO que você o leia, especialmente neste período tão complicado pelo qual estamos passando.

Ficha técnica:
Autor: Beth O'Leary
Editora: Intrínseca
Ano: 2019
Páginas: 400
Skoob: Teto Para Dois

Semana que vem eu volto com mais! Talvez seja uma resenha com desabafo, ou então uma resenha de um livro especial, que vou levar para a vida. Vamos ver, ainda não me decidi, mas cada um terá sua vez nas próximas semanas. Até lá! 

2 comentários

  1. Amei demais essa história, simplesmente devorei cada capítulo. Leve, divertido e apaixonante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um dos melhores livros para se ler neste período tão conturbado! Recomendo demais!

      Excluir