Resenha: Solstício de Inverno

17 setembro 2020

Em Solstício de Inverno, Rosamunde Pilcher conta a história de Elfrida Phipps, que deixa Londres para construir uma nova vida em Dibton, pequena cidade em Hampshire, onde desfruta da companhia do cão Horácio e da amizade dos Blundell. Porém, uma tragédia imprevista muda a sua rotina e abala radicalmente a sua vida. Elfrida é obrigada a partir para a Escócia, e o destino, pregando-lhe uma peça, acaba por reunir à sua volta pessoas mergulhadas na solidão, na saudade, no abandono e na perda. Num casarão em ruínas, no norte da Escócia, elas irão se reunir e, ao mesmo tempo, encontrar-se a si mesmas no dia mais curto do ano - no solstício de inverno. Rosamunde Pilcher combina eloquência e compaixão para criar personagens que revelam a forma como verdadeiramente vivemos e amamos. Repleta de tragédia e renovação, Solstício de Inverno possui uma narrativa cativante repleta de emoção.

Conheci Rosamunde Pilcher por seu adorado romance Os Catadores de Conchas. É um dos melhores livros que li na vida, tanto que reli nos últimos meses, porém não tive o mesmo encanto em outros romances dela. 

Isso porque Rosamunde é bastante detalhista e precisa de muitas páginas para desenvolver bem a história, algo que somente percebi em Os Catadores de Conchas, Setembro e, agora, Solstício de Inverno.

Como você pode ver na ficha técnica no final da resenha, são 640 páginas, mas eu as li em oito dias. Isso porque faltou tempo, dá vontade de ler em dois ou três, ou seja, só fazer isso. É tão bom que o considero igualmente a Os Catadores ou até melhor. Vamos à história?


Elfrida perdeu seu companheiro e resolveu recomeçar em uma pequena cidade, após adotar um cão para lhe fazer companhia. Lá, ela conhece os outros moradores da cidade e, com frequência, visita a casa dos Blundell (Oscar, sua esposa Glória e sua filha Francesca). 

Após um tempo, não muito, Elfrida vai visitar a família de seu primo na Cornualha e, ao voltar, descobre que uma tragédia aconteceu na cidade onde ela morava. A princípio, sua vida mudou, mas não tanto; entretanto, mudará drasticamente caso ela aceite um convite para passar um tempo na Escócia, para que uma pessoa querida possa se recuperar da tragédia ocorrida. 

Suponhamos... suponhamos que comecemos a discutir sua ideia. Imaginemos que fôssemos. Dirigir até a Escócia, para Shuterland. Se eu fizesse essa viagem, você viria comigo? 
Bem, como a sinopse diz, Elfrida aceita. A partir de então, os capítulos se alternam com o nome dos personagens, porque mais pessoas vão surgindo no romance. Não vou citar aqui porque não houve menção na sinopse e não quero dar spoiler, mas são pessoas as mais improváveis possíveis.

Porém, é claro que o tempo vai passando e tudo vai se encaminhando para que as pessoas se conheçam e se envolvam. O Natal vai se aproximando também, a noite mais longa do ano no Hemisfério Norte - o solstício de inverno -, e é uma delícia acompanhar o desenrolar dos fatos, principalmente o frio, as roupas quentes, a neve, a época natalina, etc. 

Quanto mais você lê Solstício de Inverno, mais quer ler. Até porque Rosamunde conta sobre a vida, os dramas que todos podemos viver, mas ela dá um fim bonito e adequado aos personagens. Podem haver mortes, e garanto que há mais de uma, mas sempre há possibilidade de recomeço, de mudar de vida, e é isso que ela nos mostra nesse livro. Para Rosamunde, sempre há como ser feliz. 

Agora, ouça. Aqui vai uma sugestão. Lá embaixo tivemos uma conversa e uma ideia. Suponhamos que depois do Ano Novo você não volte para Londres com Carrie? Você fica aqui com Elfrida. E eu volto para Londres com Carrie e vou falar com sua avó em Bornemouth. 
Rosamunde deixou meu coração quentinho ao final da leitura, principalmente com algo que aconteceu na última página. Isto é, Solstício de Inverno é emoção do começo ao fim! 

Não sei se é fácil adquirir esse livro, ele é de 2001, mas, se você conseguir, adoraria que desse uma chance a ele. Eu peguei emprestado da biblioteca da escola onde trabalho, foi um belo achado! 

Ficha técnica:
Autor: Rosamunde Pilcher
Editora: Bertrand Brasil
Ano: 2001
Páginas: 640
Skoob: Solstício de Inverno

Semana que vem eu volto com mais, como todas as quintas-feiras! Até lá! 

Nenhum comentário

Postar um comentário