Resenha: Por Toda a Eternidade

29 outubro 2020

Tully Hart é uma mulher ambiciosa, movida por grandes sonhos que, na verdade, escondem as lembranças de um passado de abandono e dor. Ela acredita que pode superar qualquer coisa ao esconder bem fundo os sentimentos de rejeição que carrega desde a infância... Até que sua melhor amiga, Kate Ryan, morre. Então, tudo começa a mudar para Tully, que se vê escorregando em um precipício cheio de memórias melancólicas e remédios para dormir...Dorothy Hart — ou Cloud, como era conhecida nos anos 1970 — está no centro do trágico passado de Tully. Ela abandonou a filha repetidas vezes na infância. Até que as duas se separaram de uma vez por todas. Aos dezesseis anos, Marah Ryan ficou devastada pela morte da mãe, Kate. Embora seu pai e seus irmãos se esforcem para manter a família unida, Marah transformou-se numa adolescente rebelde e inacessível em sua dor. Tully tenta aproximar-se de Marah, mas sua incapacidade para lidar com os sentimentos da afilhada acaba empurrando a menina para um relacionamento infeliz com um rapaz problemático. A vida dessas mulheres está intimamente ligada, e a maneira como elas vão rever seus erros e acertos constrói um romance comovente sobre o amor, a maternidade, as perdas e o novo começo. Onde há amor, há perdão...

Primeiramente, informo a você que Por Toda a Eternidade é continuação de Amigas Para Sempre, que resenhei na semana passada. Sendo assim, há spoiler por todo o lado, incluindo a morte de alguém muito especial. Se você se incomoda com isso, agradeço a sua visita, mas é melhor encerrar a leitura por aqui.

Agora, se você quer mergulhar em uma história de dor, medo, abuso de drogas, rebeldia, um pouco de suspense, mas com muitas doses de esperança conforme o desfecho se aproxima, Por Toda a Eternidade é para você. Continue a ler para conhecer um romance que vai fazer você se emocionar!


Aliás, essa é a característica essencial dos livros de Kristin Hannah. Não tem como ler um livro seu sem ficar com as emoções mexidas, abaladas, destruídas. Com Amigas Para Sempre foi assim, e eu geralmente passo para uma leitura mais leve após um livro da Kristin, mas no dia seguinte embarquei na continuação, pois queria saber como os sobreviventes ficaram após a perda de Kate.

Tully e Kate - ou TullyeKate - eram melhores amigas por toda a vida. Até que um câncer levou a melhor sobre a amiga boazinha, doce, apaziguadora. É nítida a minha preferência por Kate, assim como aconteceu com a amiga Fernanda Hahne, que, mais uma vez, leu ao mesmo tempo que eu, mas infelizmente foi-se a amiga preferida e agora somos obrigadas a encarar a amiga egoísta, que colocou o sucesso acima de tudo por muito tempo.

Trabalho desde os quatorze anos, George. Trabalhei no jornal Queen Anne Bee na escola e estava no ar antes dos 22 anos. Construí essa carreira do nada. Ninguém nunca me deu nada. - Minha voz falha. - Investi tudo no trabalho. Tudo. Não tenho filhos, marido ou família. Tenho... trabalho. 
Por Toda a Eternidade é a chance de conhecermos melhor Tully, suas motivações por trás de todo o egoísmo, o modo como ela lidou com a perda de sua melhor amiga por trinta anos, alguém que deixou um vazio gigante.

De repente, não temos mais TullyeKate, apenas Tully, mas também os pais de Kate, seu esposo, sua filha adolescente e seus filhos gêmeos, ainda crianças. Ela deixou grandes marcas em todos, e ninguém sabe como seguir adiante.

Algumas pessoas, como Tully e Marah (filha de Kate), fazem escolhas erradas para poderem sobreviver, causando mais dor e mágoas ainda. Temos, inclusive, uma situação pra lá de angustiante, com um personagem correndo sério risco de vida. A rotina no hospital, que já foi triste durante o câncer de Kate, retorna para todos os sobreviventes. 

Por Toda a Eternidade não é um livro fácil. Seu conteúdo é bastante pesado, mas extremamente importante, porque aborda o luto, depressão, solidão, abuso de drogas, automutilação, assuntos que podem fazer parte do dia a dia das pessoas e que, muitas vezes, são ignorados. Espera-se que quem ficou siga adiante, mas ninguém faz nada para ajudar. 

Fui estimulada a fazer terapia várias vezes na minha vida e sou inteligente o bastante para saber que meus ataques de pânico recentes são resultantes de algo mais do que desequilíbrio hormonal. Há um rio de tristeza em mim; sempre esteve lá, mas agora está transbordando. Sei que, se eu não tomar cuidado, há a possibilidade de que esse rio se torne uma parte maior de mim e eu me afogue. 
Porém, como eu disse no começo da resenha, mais para o final há grandes doses de esperança, vindas de quem o leitor não imagina. Sempre é tempo de recomeçar, de pedir perdão e seguir pelo caminho certo, e você perceberá isso se der chance ao livro Por Toda a Eternidade. 

Recomendo a duologia, claro, mas recomendo mais ainda que prepare o seu psicológico para uma história que vai mexer muito com seus sentimentos. 

Afinal, uma amizade da vida toda tem fim com a morte? Leia e descubra.



Ficha técnica:
Autor: Kristin Hannah
Editora: Novo ConceitoAno: 2014
Páginas: 400
Skoob: Por Toda a Eternidade

Até semana que vem, com mais resenhas. Será algo mais animado, prometo! 

Nenhum comentário

Postar um comentário